Brachygobius xanthozona Nome científico: Brachygobius xanthozona
Nome popular (BR): Abelhinha
Nome popular (ING): Bumblebee fish

 

Família: Gobiidae
Distribuição geográfica: Sudeste asiático
Comportamento: Peixe territorial, pode ser agressivo.
Tamanho adulto: 5 cm
pH: 7,2 a 8,0
Temperatura: 25 a 28oC
Dimorfismo sexual: Não há.
Alimentação: Ração, patê, artêmia salina, branchonetas, tubifex etc.
Aquário mínimo recomendado: 60 litros
Reprodução: Ovípara
Adequado para plantado? Sim, porém as plantas devem suportar o mesmo pH.
Biótopo:  
Informações adicionais:  

Saiba mais sobre a espécie:

O Abelhinha não é encontrado nas lojas com muita facilidade, mas sempre que aparece é difícil resistir e não levar alguns para casa. É dessa forma que, na maioria das vezes, esse gobídeo chega aos nossos aquários, mas por poucos saberem de suas preferências sua estadia acaba sendo um pouco curta.

Um aquário para o Abelhinha deve ter água salobra, pH alcalino, com temperatura em torno de 27ºC e muitas tocas, pois apesar do tamanho o peixe é bem "valentão" e pode demonstrar-se um pouco territorialista com os demais habitantes do aquário. Plantas são muito bem vindas, pois ajudam a criar esconderijos.

Criá-lo em água doce não é impossível, mas dessa forma o peixe estará mais exposto a doenças e dificilmente terá seu desenvolvimento pleno. É um peixe que pode ficar bastante tempo parado caso encontre alguma toca a seu gosto. Então se perceber que seu Abelhinha está muito quieto ele pode só estar curtindo a "casa", além do que, como os demais gobídeos, vai sempre ocupar a região do fundo do aquário e sem ter um comportamento muito agitado. 

A alimentação deve ser a mais variada possível, com o peixe aceitando tanto rações industrializadas, como alimentos vivos, mas ele dará preferência para os alimentos vivos, então não deixe faltar artêmia, tubifex, entre outros.  

Uma curiosidade deste peixe é sua capacidade de "grudar" nas superfícies, o que não é nenhuma habilidade paranormal, mas sim devido a sua nadadeira pélvica que possui o formato de um disco adesivo.

A reprodução não é difícil e é bem semelhante a dos ciclídeos. O macho terá as cores mais fortes e a fêmea será a mais "gordinha". Na época da reprodução, o casal fica ainda mais agressivo e deve ser colocado em um aquário só para eles, com temperatura em torno de 26ºC e pH quase neutro. Coloque uma toca para que o casal se sinta mais seguro, pode ser um vaso de cabeça para baixo, permitindo que o casal entre e saia pelo orifício de escoamento da água. Lá dentro, a fêmea deve desovar entre duzentos e trezentos ovos e o macho passará sobre eles para fertilizá-los. Após isso acontecer, retire a fêmea, pois será o macho quem cuidará dos filhotes.

Os ovos eclodem em quarenta e oito horas e devem ser alimentados com infusórios e náuplios de artêmia após os primeiros dias. O resto é com o zeloso pai que na hora certa levará seus filhotes para dar o primeiro passeio.

Escrito por Marne Campos.