Eu costumo comparar a chegada das T5 com a dos CDs na época em que eram mais populares os discos de vinil... Toda tecnologia inicialmente é cara, e essa é logo de cara a desvantagem de uma T5 em relação aos modelos T8 e T10.

Quais as vantagens das T5?

  • Maior índice de reprodução de cores (IRC), na faixa de 80-100, quanto mais próximo de 100 maior será a semelhança com a luz do sol (a luz emitida +/- no horário do meio dia) e mais real e equilibrada será a gama de cores das plantas do aquário. 

Na figura acima o menor IRC é exibido na foto à esquerda, à direita a luz de uma lâmpada de alto IRC dá à mostra as cores reais das frutas.

  • Maior vida útil para a maioria dos modelos (geralmente são modelos trifósforos) na faixa das 16000, 18000 e 20000 horas. Algumas T5 de potências abaixo dos 14W têm somente 3000 - 5000 horas, são as utilizadas em luminárias de emergência (não são trifósforo). A depreciação luminosa fica entre 10 e 20% contra os 30% (ou mais) das lâmpadas antigas. 

 

 

  • Maior relação Lúmen/watt, por exemplo: Uma fluorescente compacta de 26W emite cerca de 1350 lúmens, uma T5 de 14W também... uma T8 de 30W Aquastar emite cerca de 1700 lúmens, uma T5 de 24W também (ou até mais)... 
  
  • Tubos mais finos permitem maior concentração de lâmpadas numa luminária. Se forem utilizados refletores curvos e individuais (um por lâmpada) a eficiência será ainda maior (ver figura abaixo). 
  • Utilizam reatores eletrônicos específicos de alto desempenho e vida útil, alguns modelos podem ser dimerizáveis (você pode variar a intensidade luminosa manualmente ou eletronicamente).

Existem muitos modelos luz-do-dia (Osram, Philips, Avant, etc.) com 3000K e 4000K (as mais vendidas nas lojas de materiais elétricos), as com 5000K, 6500K e 8000K (mais difíceis de achar) e os modelos específicos para aquários (Arcadia, Gieseman, Hagen, Aquascience, etc.), sendo os últimos ainda muito caros, às vezes até mais caros que uma HQI, mas a vantagem em cima da HQI fica por conta da facilidade de instalação numa luminária, menor aquecimento e da maior distribuição de luz.

O problema maior atualmente é encontrar os reatores para essas lâmpadas (especialmente as de 21, 24, 39, 54 e 80W), as lojas não se atualizam com rapidez e a maioria adquire somente os modelos mais comuns (14W e 28W) e de menor desempenho. Coisa que deve ir mudando com o tempo... 

Escrito por Marcos Bonfim
Imagens retiradas dos Guias do Consumidor Philips e Osram

Sobre o autor:
Autor: Alex Ribeiro