Acanthurus coeruleus Nome científico: Acanthurus coeruleus
Nome popular (BR):  
Nome popular (ING): Atlantic Blue Tang

 

Família: Acanthuridae
Distribuição geográfica: Oceano Atlântico
Comportamento: Sozinho.
Tamanho adulto: 30 cm
pH: 8,0 a 9,0
Temperatura: 23 a 28oC
Densidade: 1023 a 1025
Dimorfismo sexual: Não há.
Alimentação: Algas, nori, pedaços de camarão, patê etc.
Reprodução: Ovípara.
Aquário mínimo recomendado: 400 litros
Adequado para reef? Sim.
Biótopo:  
Informações adicionais:  

Saiba mais sobre a espécie:

O Coeruleus é uma espécie de cirurgião ou tang encontrado no litoral brasileiro e chamado por muita gente de "Blue Tang Nacional". Apesar de sua coloração amarela durante a fase jovem, se transforma em um peixe de coloração azul brilhante muito bonito, por isso o nome.

Sua contribuição para manter o aquário livre de algas aparentes é notória, porém normalmente elas não são suficientes para as suas necessidades, por isso é importante complementar a dieta do Coeruleus com outros vegetais, entre eles, plantas de água doce, nori (alga muito usada na culinária japonesa), acelga, espinafre, escarola etc. Apesar de sua dieta ser extremamente vegetal, podem ser oferecidos alimentos de origem animal como pedaços de camarão, pedaços de peixe e rações em geral, que serão mais facilmente aceitas se o peixe tiver sido adquirido ainda jovem. Pode atacar alguns invertebrados como camarões, ouriços, entrelas etc.

É muito propenso ao íctio e ao oodinium assim como outros peixes do nosso litoral, dessa forma, é importante que esteja sempre saudável, com uma rica alimentação e os parâmetros da água estáveis, isso contribui para um sistema imunológico mais efetivo e uma menor propensão à doenças. Peixes limpadores como o Neon Goby também são bem vindos e ajudarão o peixe a se manter livre de parasitas.

O dimorfismo sexual não é muito aparente, as fêmeas costumam crescer mais que os machos e podem até ultrapassar os 20 cm em aquários. Um aquário grande e com água bastante movimentada é importante para que o peixe possa se desenvolver. Na natureza é possível encontrar vários indivíduos, porém em cativeiro recomenda-se apenas um exemplar por aquário por causa da territorialidade comum aos Acanthurus.

Escrito por: Marne Campos