Tilapia buttikoferi Nome científico: Tilapia buttikoferi
Nome popular (BR): Zebra, Zebrinha
Nome popular (ING): Hornet tilapia

 

Família: Cichlidae
Distribuição geográfica: Oeste africano
Comportamento: Territorial e extremamente agressivo. Não deve ser mantido com peixes menores.
Tamanho adulto: 30 cm
pH: 6,5 a 7,4
Temperatura: 23 a 27oC
Dimorfismo sexual: Não há.
Alimentação: Ração, minhocas, pequenos peixes etc.
Aquário mínimo recomendado: 300 litros
Reprodução: Ovípara.
Adequado para plantado? Não.
Biótopo:  
Informações adicionais:  

Saiba mais sobre a espécie:

Tilapia buttikoferi (Zebra ou Zebrinha)

A Tilapia buttikoferi, apesar de ser muito comum nas lojas de aquários não é uma espécie de grande destaque na literatura ou em sites pela internet. 

Ao contrário de outros ciclídeos africanos, o Ciclídeo Zebra, quase nunca é mencionado nos livros ou sites de aquarismo, sendo poucos os lugares onde encontramos algum material referente à esse magnífico ciclídeo, talvez por isso, muitas vezes é comprado como um peixe pequeno e dócil, o que é exatamente o contrário do que a espécie reserva ao aquarista!

O Zebra é originário do Oeste africano, nada específico como os famosos Lagos Malawi, Tanganyka ou Victoria. Seu corpo com listras intercaladas em preto e branco formam um contraste que o torna atraente desde pequeno, aliás, este peixe é normalmente encontrado nas lojas ainda com 3 a 5cm em média, e com um "zebrado" de chamar a atenção.

Raramente você vai encontrar um Zebra maior que isso ainda numa loja, e até podemos procurar uma explicação para esse fato. Dono de uma agressividade incrível, principalmente quando jovem, o zebra até pode conviver com outros peixes quando pequeno, mas conforme vai crescendo, chega a ser necessário separar até os indivíduos da mesma espécie, o que numa loja não se torna muito viável. Neste momento você deve estar se perguntando o porquê das lojas manterem Oscars (Astronotus ocellatus) adultos à venda e Zebras (Tilapia buttikoferi) não. Uma questão de patriotismo e valorização do que é nosso? Acredito que não e essa é uma pergunta que sempre me fiz também. Enquanto não tenoh uma resposta, sigo acreditando que talvez seja porque ainda não descobriram a beleza de um Ciclídeo Zebra adulto ou ainda porque o interesse por esse peixe não seja muito grande por parte dos aquarista desavisados (lembra a história da falta e informação sobre a espécie que mencionei no início do texto?).

Apesar de sua agressividade, não é impossível criá-lo junto com outros peixes, principalmente se o aquário tiver mais que 300L. Muitos criadores criam Zebras adultos em aquários com outros peixes e não possuem grandes problemas. Os peixes mais recomendados para conviver com ele são outros ciclídeos africanos ou até americanos, desde que tenham o mesmo porte e agressividade. Outro indivíduo da mesma espécie ou outras espécies de "Tilápias" não são recomendadas, pois as disputas por território podem se tornar mais intensas e direcionadas sempre para o mesmo indivíduo, ou seja, se quiser manter mais de um Zebra no mesmo aquário, ele precisa ser grande o suficiente para comportar mais de três indivíduos, pois em número inferior à isso, a dominância pode ficar muito concentrada em um único indivíduo, podendo levá-lo à morte. Essa agressividade tende a diminuir com o tempo, conforme o peixe vai envelhecendo.

Aquário com um Zebra (Tilapia buttikoferi)O aquário para um Zebra deve ter no mínimo 300L, a iluminação não precisa ter nada especial e uma filtragem feita com filtros externos bem dimensionados será suficiente. O Zebra não é um peixe muito "sujão", se comparado ao Oscar por exemplo. Para o substrato pode ser usado cascalho de rio comum, de preferência com as bordas arredondadas, pois o peixes muda constantemente a decoração do aquário ao seu próprio gosto e alguma pedra mais pontiaguda poderia causar-lhe ferimentos. Não é nada exigente quanto às condições da água, sendo que aceita um pH desde levemente ácido até levemente alcalino. Dê uma atenção especial às trocas parciais, pelo fato de que com a ausência de plantas, coisa quase impossível com o seu hábito de cavar o substrato, os níveis de nitrato podem chegar a valores exagerados, fazendo mal ao peixe.

Sendo um peixe onívoro, alimenta-se tanto de alimentos de origem animal, quanto vegetal, pode comer verduras, abobrinha, pequenos peixes vivos, minhocas, larvas, ração industrializada etc, sendo que sua alimentação deve ser a mais variada possível, afim de se obter o seu máximo desenvolvimento e resistência às doenças. Procure condicioná-lo a aceitar esses alimentos desde pequeno, pois assim quando o peixe já estiver adulto, estará receptivo à uma enorme variedade de alimentos, o que facilitará muito na hora de oferecer um cardápio mais variado.

Não há muitos relatos sobre sua reprodução, principalmente devido à falta de informação disponível, mas esta não difere muito de outros ciclídeos, principalmente de outras Tilápias.

Escrito por Marne Campos