Tropheus duboisi Nome científico: Tropheus duboisi
Nome popular (BR):  
Nome popular (ING):  

 

Família: Characidae
Distribuição geográfica: África (Lago Tanganyica)
Comportamento: Peixe de comportamento coletivo, deve compor grupos de, no mínimo, cinco indivíduos.
Tamanho adulto: 12 cm
pH: 8,5 a 9,0
Temperatura: 24 a 27oC
Dimorfismo sexual: Não há.
Alimentação: Ração vegetal, algas etc.
Aquário mínimo recomendado: 200 litros
Reprodução: Ovípara.
Adequado para plantado? Não.
Biótopo: Lago Tanganyica
Informações adicionais: Evite alimentos de origem animal, pois podem causar a morte do peixe se administrados com frequência.

Saiba mais sobre a espécie:

Alvo de desejo dos apreciadores dos ciclídeos africanos, são poucos os que podem dizer nunca ter pensado em manter exemplares de Duboisi em seu aquário. Seu nado gracioso e ao mesmo tempo "desajeitado" passa a impressão de que ele está sempre alegre e querendo brincar, talvez por isso cative tantos aquaristas.

Originário do lago Tanganyica, situado no continente africano, o Duboisi costuma se fixar num determinado raio, seja em região arenosa ou rochosa, onde desenvolve relações de hierarquia com os demais integrantes do grupo a que pertence.

Há mudanças significativas na coloração do peixe durante as diversas fases de sua vida. Quando jovem apresenta uma coloração negra com pontos brancos por todo o corpo e ao longo do seu amadurecimento, na fase juvenil, apresenta uma coloração de transição com desenhos que lembram listras verticais levemente azuladas. Quando adulto, a coloração é negra com uma faixa levemente amarelada, com o desenvolvimento da coloração azul na cabeça de alguns exemplares.

Para se manter o Duboisi num aquário, é importante dar atenção a seus hábitos na natureza. Em seu habitat natural a dieta é composta por 99% de alimentos de origem vegetal (principalmente algas) e 1% de origem animal, como pequenos crustáceos. Caso o peixe receba uma dieta baseada em alimentos de origem animal poderá ter problemas de origem gastrointestinal, devido ao comprimento de seu intestino ser maior que o da maioria dos peixes, podendo até leva-lo à morte. É comum flagrar o Duboisi "pastando" entre as rochas em busca algas, já que essas são seu alimento predileto, principalmente as filamentosas. Dessa forma, o aquarista não deverá se preocupar com o aparecimento destas algas em seu aquário, já que serão de grande importância.

Como visto acima, é importante fornecer quase que exclusivamente alimentos de origem vegetal ao Duboisi, tarefa fácil já que hoje o mercado oferece diversos tipos e marcas de rações vegetais como as à base da alga Spirulina, alimento muito apreciado pelo peixe e com excelentes propriedades nutricionais.

Manter este peixe junto com outros exemplares da mesma espécie é muito importante para seu desenvolvimento, pois na natureza vive em grandes grupos com relações sociais bastante desenvolvidas. Caso seja mantido apenas um exemplar ou em grupos muito reduzidos, poderá apresentar uma agressividade incomum à espécie.

Apesar de muitos criadores não recomendarem a manutenção desse peixe em aquários comunitários isso é possível, desde que sejam observados os hábitos alimentares e comportamentais das espécies que dividirão o aquário com os Duboisis. Estes também devem ter uma dieta essencialmente vegetal e não possuírem movimentos demasiadamente lentos pois podem se sentir incomodados com a agilidade dos Duboisis. Além disso é importante partilharem das mesmas preferências quanto à água, ou seja, pH entre 8,5 e 9,0 e dureza de 20ºDH. O aquário deve possuir dimensões compatíveis com a manutenção de um grupo de pelo menos cinco exemplares, sendo que o mínimo recomendando seriam 200 litros para grupos compostos entre cinco e dez exemplares. Plantas como Anubias barteri var. nana e Valisnerias spirallis (entre outras) serão apreciadas.

A reprodução se dá por incubação buco-faríngeo maternal, ou seja, a mãe mantém os filhotes dentro da cavidade bucal por um certo tempo. Os hábitos reprodutivos são polígamos.

Escrito por Marne Campos.