Mikrogeophagus ramirezi Nome científico: Mikrogeophagus ramirezi
Nome popular (BR): Ramirezi
Nome popular (ING): Ram cichlid

 

Família: Cichlidae
Distribuição geográfica: América do Sul
Comportamento: Territorial, pode ser agressivo com outros peixes territoriais de mesmo porte.
Tamanho adulto: 4 cm
pH: 5,2 a 6,2
Temperatura: 25 a 29oC
Dimorfismo sexual: Machos possuem os primeiros raios da nadadeirs doral maiores.
Alimentação: Ração, patê, artêmia salina, branchonetas, tubifex etc.
Aquário mínimo recomendado: 50 litros
Reprodução: Ovípara.
Adequado para plantado? Sim.
Biótopo:  
Informações adicionais:  

Saiba mais sobre a espécie:

Ramirezis comum (ao fundo) e ouroHá alguns anos que os ciclídeos anões se tornaram bastante procurados pelos aquaristas, principalmente para aquários plantados. Talvez isso tenha começado no final da década de noventa com a popularização dos peixes do gênero Apistogramma, porém um pequeno colorido ciclídeo anão que chegou bem antes, já nadava nos aquários há muito tempo sem chamar grande atenções e sendo comercializado por valores muito mais acessíveis, o Ramirezi, um membro do gênero Mikrogeophagus que esbanja nas cores e na simpatia! Aliás, para quem não sabe, ele já foi conhecido por Apistogramma ramirezi, até ser reclassificado.

Pacífico e muitas vezes até tímido, o Ramirezi é uma ótima opção para aquários plantados, pois não costuma fazer buracos no substrato, nem arrancar pedaços das plantas, além disso vai se sentir bem mais seguro em um ambiente com densa vegetação, que ofereça vários abrigos.

A adaptação ao novo aquário pode ser lenta, e muitas vezes levar alguns dias até até começar a se alimentar na frente do aquarista, o que deixa muita gente preocupada. É importante ter em mente que o Ramirezi cometuma buscar alimento no fundo, então mesmo que aparentemente não se alimente protamente logo nos primeiros dias, se o peixe estiver saudável, buscará por alimentos ao longo do dia e com certeza encontrará algo, até começar a "se sentir em casa" e buscar a ração quando ela é servida, sem receio

Algumas pessoas defendem que são peixes de "água velha" porém esse termos gera certa polêmica. O melhor é dizer que o Ramirezi prefere um pH ácido, abaixo de 6,5 e um aquário já montado a alguns meses, sem muitas variações de parâmetros ou acúmulo de compostos nitrogenados como amônia ou nitrito, resumindo, não é um peixe recomendado para aquários recém montados.

Ramirezi Azul VéuRecentemente começaram a surgir algumas variedades, obtidas através da seleção de exemplares criados em cativeiro. Ao contrário de anos atrás quando só se encontrava as variedades normal e ouro, atualmente é possível encontrar as variedades Azul (Eletrice blue) e Corpo Curto (Short body), todas com nadadeiras de tamanho normal ou véu.

Reproduzí-lo não é difícil, contanto que o peixe esteja bastante à vontade no aquário, o ritual é semelhante aos demais ciclídeos, o casal procura um local para a desova, e depois de limpá-lo bem com a boca, a fêmea deposita os ovos que são imediatamente fertilizados pelo macho, os pais cuidam dos ovos e dos filhotes ao nascerem. O dimorfismo sexual é realizado com certa facilidade quando em adultos, o macho possui os primeiros raios da nadadeira dorsal maiores que os demais, na fêmea isso não é tão evidente.

A alimentação não oferece grandes desafios, onívoro, com o tempo ele deve aceitar bem rações de qualidade, normalmente preferindo grãos à flocos pois chegam ao fundo com maior facilidade, local onde ele prefere se alimentar. Alimento vivo pode ser oferecido, uma vez por semana como complemento de sua dieta.

Escrito por Marne Campos.