Lepisosteus oculatus Nome científico: Lepisosteus oculatus
Nome popular (BR): Boca de Jacaré
Nome popular (ING): Spotted gar

 

Família: Lepisosteidae
Distribuição geográfica: América do Norte
Comportamento: Pode se alimentar de peixes menores.
Tamanho adulto: 150 cm
pH: 7,0 a 8,0
Temperatura: 12 a 22oC
Dimorfismo sexual: Não há.
Alimentação: Peixes e invertebrados, ração etc.
Aquário mínimo recomendado: 1.000 litros
Reprodução: Ovípara
Adequado para plantado? Não.
Biótopo:  
Informações adicionais:  

 

Saiba mais sobre a espécie:

A família Lepisoteidae é composta por dois gêneros, sendo eles Lepisosteus e Atractosteus. Também chamados de Peixe Agulha, Boca de Jacaré ou Gar, são geralmente encontrados na América Central e do Norte, são peixes primitivos e predadores.

Os peixes do gênero Atractosteus são os Gars mais parecidos com jacaré, por terem sua boca mais larga e serem maiores e mais largos que os do gênero Lepisosteus. O Atractosteus spatula disputa a colocação do maior peixe de água doce do mundo, perde somente para o Pirarucu. Existem somente três variedades de Atractosteus. Os do gênero Lepisosteus são os menores, tendo o "bico" e o corpo mais fino. O menor deles é o Lepisosteus platostomus que costuma ficar com 60cm em aquários mas  podendo alcançar até 90 cm em alguns casos.

Os Gars são peixes pacíficos, porém são ótimos predadores de emboscada. Comem tudo que couber em sua boca e na natureza costumam se alimentar de pequenos peixes.

Assim como os membros da família Anabantidae respiram o ar atmosférico, por isso são menos afetados pela amônia, podendo aguentar águas relativamente poluídas. Os Gars não toleram bem medicamentos e em casos de doenças devem ser tratados com sal, elevação de temperatura e trocas de água.

O pH ideal é alcalino mas podem viver em água doce ou salgada. Muitos criadores estadunidenses de Gars costumam deixar a água do aquário levemente salgada pelo menos um dia ao ano para livrar o peixe de parasitas e outras doenças.

Para se criar um Gar em aquário são recomendados grandes tanques com pelo menos 1.000 litros para Lepisosteus como os L. platostomus, L. oculatus e  L. platyrhincus. Evite colocá-los com grandes bagres como Pirararas (Phractocephalus hemioliopterus) pois podem, mesmo depois de grandes, serem comidos se couberem em sua boca. Ótimos companheiros são peixes pacíficos e predadores como outros Gars, Aruanãs, Polypterus, Piramboias, Pangassius e Facas, entre outros.

Gars crescem mais rápido até atingirem o platô, com 25 a 30 cm. Antes de atingirem o platô (geralmente com 25 cm) eles são muito frágeis, podendo inclusive se ferir quando assustados. Para que eles alcancem os 25 cm rapidamente devemos oferecer bastante espaço e uma alimentação variada, incluindo alimento vivo. Ao alcançar o suposto platô, podemos acostumá-lo a comer rações, pequenos peixes, carne branca e vermelha, etc.

Escrito por Diego Ferreira da Mota e Marne Campos.