Chromobotia macracanthus Nome científico: Chromobotia macracanthus
Nome popular (BR): Bótia Palhaço
Nome popular (ING): Clown loach

 

Família: Cobitidae
Distribuição geográfica: Sudeste asiático
Comportamento: Pacífico, deve ser mantido em grupos de no mínimo 5 indivíduos.
Tamanho adulto: 30 cm
pH: 5,5 a 7,2
Temperatura: 25 a 29oC
Dimorfismo sexual: Não há.
Alimentação: Ração, patê, artêmia salina, branchonetas, tubifex, minhocas etc.
Aquário mínimo recomendado: 300 litros
Reprodução: Ovípara
Adequado para plantado? Não.
Biótopo: Rios com correnteza.
Informações adicionais:  

Saiba mais sobre a espécie:

Aquário para Botias – O que preciso saber?

Autor: Marcos Mataratzis

 

Como deve ser um aquário para botias.

O aquário deve ser grande. Pelo menos 200 a 300 litros. Lembre-se que o número ideal de Botias, seja qual for sua espécie, é de cinco ou mais indivíduos.

Preferencialmente, um aquário para Botias deve ser o mais comprido quanto possível e ter uma área da base grande também, já que as Botias passam a maior parte do tempo no fundo do aquário. São mais importantes o comprimento e a largura do que a altura do aquário.

Deve conter muitas tocas. Botias gostam muito de se enfiar em buracos. Troncos e pedras formando esconderijos são muito apreciados mas elas também aceitarão canos de PVC ou outros materiais que lhes proporcionem abrigo.

O substrato do aquário deverá ser de pequena granulometria pois as Botias possuem barbilhões bastante sensíveis e ficam fuçando o fundo do aquário a procura de alimento. Evite cascalhos pontiagudos ou de granulometria grande.

Abuse na filtragem. Botias são peixes exigentes quanto à qualidade da água. Considero uma boa vazão de filtragem valores acima de oito vezes o volume de água do aquário por hora. Aferições periódicas dos níveis de amônia, nitritos e nitratos são desejáveis. Procure mantê-los sempre o mais baixo quanto possível. Amônia e nitritos sempre zerados. Nitratos abaixo de 30 PPM. As sifonagens e TPAs devem ser feitas pelo menos uma vez por semana. Preferencialmente duas TPAs de 20% por semana para garantir água sempre limpa.

Águas movimentadas. As necessidades de oxigênio das Botias costuma ser maior do que a maioria dos demais peixes tropicais. Em seu habitat, vivem em rios com águas muito movimentadas o que favorece a oxigenação da água. Bombas submersas para circulação da água são muito bem vindas em aquários para Botias. Um sistema de correnteza também é uma boa opção.

A dureza da água deverá ser inferior a 12 GH. O pH deverá estar compreendido no intervalo entre 6,5 e 7,0. Botias são muito adaptáveis a diversos pHs mas esta é a faixa mais confortável para elas. Existem algumas poucas espécies que preferem águas de neutras para alcalinas mas são exceção.

A temperatura não deve ser inferior a 27°C. Botias são peixes sensíveis ao íctio e em temperaturas abaixo de 27°C podem contrair a doença com mais facilidade. A faixa ideal vai de 27 a 29°C.

A iluminação também é um fator importante a ser levado em consideração. Botias não gostam de muita luz. Recomenda-se que aquários para Botias tenham, no máximo, 0,4 Watts/litro de luz. Se possível, menos.

 

O que devo evitar em aquário para Botias.

Aquários plantados. Botias fuçam o substrato o tempo todo. Se seu aquário possuir camadas férteis elas não vai durar muito. Botias também adoram desenterrar plantas, comer algumas ou até mesmo furar as folhas de outras (apenas por diversão). Veja também que por não gostarem de muita luz, a seleção de plantas deve conter as mais robustas e menos exigentes. Entre elas, cito as Anubias gigantes, Microsorium, Valisneria gigante e Amazonensis. Evite usar CO2 em seu aquário de Botias pois além de baixar o pH durante o dia (e subir de noite - Botias não gostam de variações de pH) ele também contribui para diminuir o teor de oxigênio da água e elas são exigentes quanto a isso.

Aquários sem tampas. Botias são peixes muito curiosos e eventualmente dão saltos fora dágua.

 

 Peixes compatíveis com as Botias.

Evite misturar muitas espécies, especialmente se forem espécies de regiões muito distintas do Sudeste Asiático. Labeo bicolor é uma excelente opção de companhia para elas. Labeo frenatus também, mas atente para o fato de que não devemos colocar mais que um Labeo por aquário.

Embora sejam peixes de fundo, um cardume de Corydoras ajudam na faxina do substrato.

Botias também gostam de olhar para cima e notar a presença de "dither fishes", peixes que lhes informam se existem ou não predadores na área. Geralmente pequenos cardumes de peixes de superfície são bons companheiros para elas até uma certa idade (lembre-se que Botias, de um modo geral, crescem bastante). Rasboras arlequim, Dânios e Melanotaenias são bons dither fishes para as Botias.

 

Perguntas mais frequentes.

1- Posso ter Botias em meu aquário de Discos?

Poder pode, mas não é uma mistura muito compatível pelo fato de que os Discos preferem águas mais calmas enquanto as Botias preferem águas turbulentas. Além disso, a agitação normal das Botias pode acabar estressando seus Discos.

2- Posso ter Botias em meu aquário de CAs?

Absolutamente não! O pH e a dureza da água dos aquários de Ciclídeos Africanos é completamente incompatível para as Botias.

3- Posso ter Botias no meu aquário de peixes Jumbos?

Depende. Se as Botias forem suficientemente grandes para se defender, sim. Caso contrário, não. Entenda-se como "suficientemente grandes" um tamanho proporcional aos Jumbos. Botias sabem se defender mas isso tem limites. Um Oscar de 35cm junto com cinco Botias de 8 ou 10cm provavelmente não dará certo, mas se elas já tiverem uns 15 a 20cm eles poderão conviver pacificamente. Lembre-se também que Botias são peixes de cardume. Não adianta colocar uma única Botia de 20cm que ela não vai se defender. A força delas está justamente na frase "a união faz a força". Botias palhaço, por exemplo, se criadas na ausência de outras de mesma espécie podem até morrer de solidão.

4- É verdade que Botias pegam íctio muito facilmente?

R: Sim. É bastante comum comprarmos Botias aparentemente saudáveis e, no dia seguinte elas apresentarem os famosos pontos brancos.

5- É verdade que não devemos usar remédios a base de cobre nem sal grosso com Botias?

R: As escamas das Botias são muito pequenas ao longo se seu corpo e ausentes na cabeça. Isto as torna muito sensíveis. O sal grosso não deve ser usado. Quanto ao cobre, a dose da medicação deverá ser menor que a recomendada na bula do remédio. Geralmente usamos de 1/6 a, no máximo, 1/2 dose.

6- Posso ter uma ou duas Botias apenas em meu aquário?

R: Não! Botias são peixes de cardume. O número ideal é cinco ou mais pois, assim como abelhas e formigas, elas tem funções específicas no grupo. Todavia, em certos casos provisórios, podem ser introduzidas como mínimo dos mínimos apenas três, mas fique avisado de que seu comportamento será mais ativo em grupos maiores.

7- Posso usar areia branca como substrato?

R: Pode, mas não deve. Como Botias são peixes de fundo e preferem baixa iluminação seria mais recomendado cascalho ou areia escura, ou pelo menos não branco.

8- Como escolher as Botias na loja?

R: Não compre Botias com suas cores esmaecidas, nadadeiras fechadas muito menos se sua barriga não estiver roliça e mais gorda que a cabeça. Uma doença comum em peixes capturados na natureza é o chamado Skinny ou barriga seca. Peixes com essa doença possuem o ventre murcho. Não compre peixes nessas condições.