Garra flavatra Nome científico: Puntius titteya
Nome popular (BR): Barbo Cereja, Barbo Titéia
Nome popular (ING): Cherry barb

 

Família: Cyprinidae
Distribuição geográfica: Sudeste Asiático (Sri Lanka)
Comportamento: Pacífico.
Tamanho adulto: 5 cm
pH: 6,8 a 7,4
Temperatura: 23 a 27oC
Dimorfismo sexual: O macho possui um tom de vermelho mais intenso.
Alimentação: Ração, pequenos invertebrados etc.
Aquário mínimo recomendado: 60 litros
Reprodução: Ovípara
Adequado para plantado? Sim.
Biótopo:  
Informações adicionais:  Deve ser mantido em grupos de, no mínimo, cinco indivíduos.

Saiba mais sobre a espécie:

 Barbo Cereja macho (Puntius titteya)Entre os Barbos mais belos mantidos em aquários, o Barbo Cereja torna-se uma ótima opção para todos os gostos, de colorido intenso e bastante ativo, dá vida ao aquário, seja ele plantado ou não. Está entre os Barbos mais procurados pelos aquaristas para seus aquários plantados devido ao fato de não ultrapassar os 5 cm e contrastar bastante com o verde das plantas.

Originário do Sri Lanka, o Puntius titteya vai preferir águas com vegetação densa e peixes pacíficos como ele.

Ao contrário de outros Barbos, o Cereja não costuma importunar peixes com nadadeiras longas, beliscando-os, mais um fator que torna a existência desse peixe no aquário quase obrigatória, mas deve-se ficar atento pois seu "primo", o Barbo Conchonius Rosado (Puntius conchonius var.), também é conhecido, em alguns locais, como Barbo Cereja, e este possui o comportamento descrito acima, podendo ser um problema, dependendo das espécies que dividirem o aquário com ele.

  Barbo Cereja fêmea (Puntius titteya)O aquário para o Barbo Cereja deverá ter, no mínimo, 60 litros, pois apesar do tamanho, é um peixe bastante ativo que gosta de nadar o tempo todo à meia água, o pH deverá permanecer em torno de 7,0 e a temperatura em 25ºC. Prefere viver em grupos, apesar de não nadar em "cardume" dentro do aquário, então mantenha ao menos três exemplares, de preferência mais fêmeas que machos.

A distinção dos sexos é realizada com certa facilidade, o macho possui coloração vermelha bastante intensa, enquanto a fêmea desenvolve uma coloração mais próxima do laranja ou amarelo, além dessa característica podemos distinguí-los pelo formato do corpo, onde a fêmea é mais "roliça" que o macho.

A reprodução em cativeiro pode ser alcançada sem muitos problema, para isso separe um macho que estiver bastante agitado e com a coloração bastante intensa e uma fêmea "roliça", coloque-os num aquário de aproximadamente 20 ou 30 litros com a água do aquário original e plantas de tufo, caso não possua plantas, faça algo parecido com lã, a temperatura deverá estar em torno de 27ºC. Alimente-os com alimentos vivos durante essa fase. A fêmea deverá expelir em torno de 200 ovos entre a vegetação e logo depois o macho os fertilizará, após isso é recomendável retirar os pais do aquário para que não comam os ovos. A eclosão ocorre em até 36 horas, e após o terceiro dia, quando os filhotes tiverem consumido o saco vitelino, deverá iniciar a alimentação com infusórios, micro-vermes, náuplios de artêmia e ração para filhotes de ovíparos, até que consigam se alimentar de flocos como os pais.

A alimentação dos adultos deve ser a mais variada possível já que aceitam de tudo, utilize rações industrializadas e alimento vivo como artêmia, tubifex etc.

Escrito por: Marne Campos