Não estou aqui para escrever sobre o ato de fumar pois esse é um assunto mais que debatido nos tempos atuais e, ao contrário da geração dos meus pais, onde quem fumava era visto como descolado, chamoso e sofisticado, fumar hoje em dia é visto como algo feio, antihigiênico e antisocial, já que ninguém gosta de ficar perto de um fumante, muitas vezes nem mesmo outro fumante. Porém, se abordei esse assunto aqui é porque alguma relação ele deve ter com o nosso amado aquarismo.

Bitucas de cigarro descartadas em local com mortes de peixes.Eu vejo grandes avanços em relação aos hábitos como cidadão desde a geração dos meus pais até a minha, quando eu era criança, várias vezes vi meus pais jogando lixo pela janela do carro, desde uma bola de papel até sacos plásticos, latinhas de refrigerante etc, não que eu não tenha colegas que fazem isso hoje em dia, porém é muito menos frequente e eu não consigo me imaginar fazendo tal coisa, imagino (e vivencio) o chão do meu carro parecendo uma grande lixeira, mas aí o carro é meu e eu faço o que eu quiser dentro dele, porém a rua, a estrada ou o terrero baldio não são somente meus e eu não consigo enxergar nenhum direito concedido a mim para sujá-los. Acredito que você deva concordar comigo, pois se está aqui é porque é aquarista, só isso já basta para demonstrar que possui bom gosto e uma inteligência acima da média. (perco o amigo, mas não perco a piada).

Entretanto, se você fuma (o que, na minha opinião, não combina com o fato de ser um ser evoluído, praticante do aquarismo), você provavelmente já jogou uma bituquinha de cigarro no chão, aquela parte do cigarro que você coloca na boca e não consegue fumar, talvez com aquela "petelecada" praticada com o dedo indicador e o polegar que lança a bituca a 2 ou 3 metros de distância. Você sabia que ela pode chegar até o seu aquário?

Como assim? Aquilo é um singelo pedacinho de papel com uma lã dentro que aparentemente se dissolve facilmente na água (nem todas, a maioria ainda é feita de material sintético). Verdade, não deixa de ser, mas de singela a bituca de cigarro não tem nada! O seu papel é filtrar algumas substâncias tóxicas que são originadas na queima do cigarro e não deveriam ir para o seu corpo, então elas ficam alí, presas nas fibras do filtro do cigarro, assim como o perlon do filtro do seu aquário realiza a filtragem mecânica da sua água. Quando você descarta essa bituca no chão, a tendência é que uma hora a água da chuva a leve, muita gente até dá uma ajudinha e realiza o descarte direto na sarjeta, onde a água da chuva passa e leva direto para o bueiro, assim, não tem perigo dela permanecer acesa e causar um incêndio. Só que você já pensou para onde a água da chuva leva essa sua bituca, isso se ela não enroscar em algum lugar e contribuir para entopir bueiros ou canos, causando aquela enchente na sua cidade? Essa água vai para o rio mais próximo! Você sabe para onde a água do rio vai? Ela vai parar no oceano, que é onde a sua bituca vai parar se antes ela não for engolida por algum animal, bem provavelmente um peixe.

Crustáceo encontrado com bitucas de cigarro em seu abdome.

Aquele papelzinho que você descartou com aquela "petelecada estilosa" passou pelos canos da sua cidade, pelos rios do seu Estado e acabou no oceano, para onde ela levará todo o cádmio, zinco, níquel e arsênico retido nela. Todos esses elementos são tóxicos em determinadas concentrações, bem maiores que as encontradas em uma única bituca de cigarro, mas dentro dos valores que 5.000.000.000.000 (5 trilhões) de bitucas de cigarro que vão parar no oceano anualmente, podem representar. Ao contrário de outros elementos que são eliminados pelo nosso corpo através da urina e fezes, esses se acumulam e normalmente o nosso corpo encontra um lugar para eles onde causam menos problemas já que não podem ser jogados para fora, normalmente esse lugar é o tecido adiposo, aquela gordurinha que você, talvez, não queria ter. Quando um animal contaminado é predado por outro, ocorre o que chamamos de bioacumulação, ou seja, a quantidade desses elementos que havia no corpo da presa, soma-se à quantidade que já fazer parte do organismo do predador, o mesmo acontecerá com quem se alimentar dele, resultando em altas concentrações nas espécies que estão no topo da cadeia alimentar, inclusive o animal que está no topo da cadeia alimentar do planeta Terra, isso mesmo, nós seres humanos. Só que não pára por aí, aquele peixe do seu aquário, também se alimenta de peixes menores, que se alimentam de peixes menores ainda e esses se alimentam de pequenos invertebrados que muitas vezes já tinham uma carga desses elementos acumulada em seu organismo, dessa forma, muito provavelmente ele vai chegar no seu aquário já com uma expectativa de vida bem menor que aqueles 8 ou 10 anos que fala no seu livro de aquarismo preferido, por mais que você capriche em sua manutenção.

Então, da próxima vez que for querer dar a famosa "petelecada estilosa" na bituca do seu fedorento cigarrinho ou então ver seu colega fazendo isso, explique para ele que há lugares próprios para descartar a singela bituquinha caso a idéia seja continuar com essa prática desagradável. Com certeza a sarjeta ou o meio da rua não são algun desses lugares.

Sobre o autor:
Marne Campos
Autor: Marne Campos
Marne Campos, natural de Campinas-SP, é aquarista desde 1990 quando, aos 7 anos de idade, ganhou o seu primeiro aquário e se apaixonou completamente pelo aquarismo. Bacharel em Análise de Sistemas pela PUC-CAMPINAS e técnico em Eletro-Eletrônica pela UNICAMP, criou o projeto Aquarismo Online em 1999, além outras iniciativas ligadas ao aquarismo que vieram logo em seguida, entre elas a idealização do CBAP (Concurso Brasileiro de Aquapaisagismo) onde ocupou o cargo máximo por 12 anos. Dedica-se à aquários plantados desde 1998, tendo como principal área de interesse atualmente, a manutenção de ambientes aquáticos por longos períodos.

Talvez você também se interesse por: