Spirulina como integrante na alimentação

Olá pessoal,

Montei um pequeno texto exemplificativo e explicativo sobre algumas utilidades e “benfeitorias” proporcionadas pela Spirulina nos organismos em geral, uma vez que tal alga muito tem sido utilizada como fonte alimentar por diversos aquaristas a seus exemplares, positivamente...

Passemos ao texto, então:

SPIRULINA

ORIGEM:

A Spirulina é uma alga verde-azulada, pertencente à classe das Cianofíceas, e que possui como característica apresentar-se sob a forma filamentosa.




HISTÓRICO:

Estima-se que a Spirulina esteja presente na Terra a cerca de 3500 milhões de anos, quando – em conjunto com outras algas – participou na formação do cobertor de oxigênio que tornou possível a evolução das altas formas de vida de nosso Planeta. Portanto, é possível dizer que as mesmas regulam desde então a biosfera da Terra.

Segundo alguns estudos, a Spirulina esteve incluída na dieta alimentar de várias civilizações no mundo inteiro, inclusive a civilização Azteca. Na atualidade está difundida entre um número cada vez maior de pessoas, entre as quais encontram-se participantes de organizações que promovem a busca por uma alimentação mais saudável. Os responsáveis pela formulação da dieta dos astronautas da NASA tomam-la como importante componente.

A Spirulina possui inúmeros nutrientes necessários ao organismo, sendo um alimento tão completo que – de acordo com o que se conta – um filósofo japonês, chamado Toru Matsui, viveu dezessete anos no Monte Hakone, ao redor de Tóquio, apenas comendo Spirulina.

COMPOSIÇÃO E ALGUMAS UTILIDADES:

Criadores de peixes, no Japão, têm descoberto que a Spirulina aumenta a palatividade, enquanto que, ao mesmo tempo, oferece nutrientes importantes ao desenvolvimento e à manutenção em geral de seus exemplares. (Revista de Acuacultura 1990. Calcium Spirulan, un inhibidor de la proliferación de virus, de una alga azul-verde, Spirulina plantensis. J. Nat. Prod. 59:83-87, 1996.).

A Spirulina é fonte de aminoácidos essenciais, vitaminas, ácidos graxos polissaturados, chegando a conter entre 50 e 70%, de seu peso seco, em proteínas, quantidade essa que, em geral, é superior a de outras fontes protéicas.

Entre os aminoácidos encontrados na Spirulina está presente, em grande quantidade, a metionina. A metionina exerce função importante na rápida remineralização de nervos afetados, uma vez que participa da formação de colina, precursor da mielina.

Também há que se mencionar a glicina, sobre a qual existem estudos cujos resultados têm demonstrado que sua liberação, por estímulo da medula espinhal, alivia a dor neuropática.

O chamado ácido gammalinolenico (GLA) é outro importante componente encontrado na Spirulina, sendo ela, além do leite materno, o único alimento conhecido que o contém. O GLA atua na prevenção de patologias cardíacas, sendo regulador da pressão arterial, da síntese do colesterol e da divisão celular; previne, também, a deficiência de zinco, a obesidade, etc.

Em relação à Spirulina, deve-se também comentar que, em geral, algas absorvem e quelam importantes oligoelementos, de forma natural. Nessas formas orgânicas, são os minerais (entre os quais se destacam o selênio, o cobre e o zinco, e que formadores são de parte das funções bioquímicas importantes para a preservação da estrutura e funcionamento dos tecidos do sistema nervoso) melhor assimilados pelo organismo. O selênio é um mineral anti-oxidante e, ainda, constituinte essencial de uma enzima específica que encarregada é com relação à eliminação de radicais livres, o que significa que a falta de selênio está associada ao aumento desses radicais. Em relação ao cobre e ao zinco, também possuem poder anti-oxidante uma vez que são componentes de uma enzima que participa de tal função. O zinco, ainda, também atua na eliminação de radicais livres.

Também a importante presença de ferro, magnésio e outros micronutrientes contribui para o enriquecimento dessa alga. É sabido que o ferro ajuda a manter os glóbulos vermelhos e o sistema imunológico, detendo e revertendo a anemia.

A Spirulina é um dos alimentos mais ricos em betacaroteno, pró-vitamina A, do mundo, o qual nela é cerca de dez vezes mais concentrado do que em uma cenoura. É válido mencionar que o betacaroteno, juntamente com a vitamina E, contribui de forma importante para o poder anti-oxidante da Spirulina, protegendo os organismos do envelhecimento e de doenças como o câncer.

Em relação às vitaminas que, vamos dizer assim, a compõem, não se pode também esquecer da presença do Complexo B. Devido à atuação do Complexo B no cérebro, consumir Spirulina significa, entre outras coisas, beneficiar o desempenho da memória, aumentar a capacidade de atenção e o estado de ânimo de uma forma geral. Há ainda que se comentar que, entre todas as vitaminas componentes do Complexo B, a que desempenha papel mais importante quanto ao funcionamento do sistema nervoso é a vitamina B1. Além da contribuição direta dessa vitamina, a Spirulina melhora a eficiência de sua absorção, uma vez que produz um aumento dos bacilos intestinais (lactobacilos).

Falar em Spirulina significa falar também em ácido fólico e em cobalamina, mais conhecida como vitamina B12, essencial aos nervos e tecidos saudáveis. Vitaminas essas que juntas participam da síntese de nucleotídeos purínicos e pirimidínicos, bem como na obtenção de metionina. Uma alimentação insuficiente contribui para suas ausências nos organismos. A deficiência de vitamina B12 pode ocasionar desordens polineuropáticas e neuropsiquiátricas.

Ácido fólico, vitamina B12 atuam – também – na prevenção e cura de anemias.

A Spirulina possui atividade contra vários tipos de vírus, atividade essa que pode ser em parte atribuída ao fato de conter sulfoglicolipídios, capacitados a aumentar as respostas imunes e estimular o funcionamento de macrófagos.

Outro benefício da Spirulina é ser um alimento rico em proteínas e livre da graxa e do colesterol presentes nas carnes. Suas proteínas, bem como a própria Spirulina em si, têm como vantagem a alta digestibilidade – importante benefício para organismos dotados de má absorção intestinal – devido à ausência de celulose dura na parede celular dessa alga, a qual dá lugar a, vamos dizer assim, macios mucopolissacarídios que se dissolvem com o contato da umidade e das enzimas digestivas. Outros alimentos vegetais possuem nutrientes que são em parte inutilizados por estarem, digamos assim, encaixotados dentro de paredes celulósicas indigeríveis. Bem como outros alimentos ricos em proteínas, tais como carne de gado, de frango, pescado, leite, caracterizam-se por sua difícil digestão. A digestibilidade da Spirulina, de outro lado, é, como já foi ressaltado, inigualável. Seus aminoácidos encontram-se em um estado essencialmente livre para uma instatânea assimilação. Em poucos instantes, suas enzimas, nutrientes e essências vitais são absorvidas pelo sangue, sem a momentânea perda de energia que se produz na digestão de outros tipos de alimento.

E mais, existe ainda a figura da ficocianina, pigmento azul encontrado em grande quantidade nessa alga e que tem sido apresentado como agente anti-oxidante – prevenindo enfermidades degenerativas dos órgãos – e anti-inflamatório – atuando positivamente sobre úlceras e hemorróidas – estimulando o sistema imunológico.

Outro benéfico pigmento encontrado na Spirulina, a clorofila, contribui na formação do sangue, renova os tecidos e faz frente à radiação.

PODE-SE DIZER, ENTÃO, que a Spirulina leva consigo inúmeros benefícios a quem a consome, dotando os organismos – premiados a adição de suas propriedades – com mais saúde de uma forma geral, regulando-os e protegendo-os de muitas doenças. É importante sublinhar que a Spirulina traz, entre outras vantagens, aumento da energia vital (graças a seus altos níveis de aminoácidos, vitaminas e minerais), melhorando pele, bem como a sexualidade; traz melhoras para a circulação, para a cicatrização; favorece a eliminação de toxinas dos rins, reduzindo inclusive os efeitos colaterais de alguns medicamentos; incrementa o crescimento...

Além de tudo, apesar de encontrarmos a venda a maior parte dos componentes da Spirulina, na forma de fármacos, em particular as vitaminas e os minerais, é sabido que o consumo desses em sua fonte natural apresenta algumas vantagens, já que se encontram unidos a complexos de proteínas, hidratos de carbono, lipídios e queladores, que em conjunto são facilmente assimilados pelo organismo. Ao contrário de seus análogos industrializados, que apresentam significativas mudanças em suas estruturas químicas.

Enfim, é possível comentar que uma alimentação saudável e adequada será um importante contribuinte na defesa contra os efeitos prejudiciais que vários fatores poderão proporcionar com relação à energia e saúde dos seres em geral..... E a Spirulina é uma poderosa fonte de alimentação, contendo muitos dos nutrientes recomendados para a proteção dos organismos. Uma combinação nutritiva jamais obtida em qualquer tipo de alimento.

Bom pessoal é isso, espero ter ajudado, abraços.



Segue abaixo algumas formas que podemos dar Spirulina aos peixes:

Em pó:


Ração em flocos:


Pastilhas para peixes de fundo:

 Colaboração: Marne Campos.

 

 

Aquarismo Online © 1999-2014. Todos os direitos reservados.