Volume mínimo x Volume por peixe x Tamanho mínimo do aquário

Discussões sobre Aquarismo Doce com ênfase aos assuntos mais básicos, água, filtragem, manutenção, decoração etc. (recomendado para quem está iniciando no aquarismo).

Moderador: Equipe AqOL

Regras do fórum
1 - Não escreva o título do tópico ou a mensagem dele toda EM LETRAS MAIÚSCULAS, negrito ou coloridas.
2 - Quando postar imagens, coloque o endereço delas entre as tags [img] e [/img*] (sem *)
3 - Quando postar endereços da internet, coloque entre as tags [url] e [*/url] (sem *)
4 - Não poste dois assuntos diferentes no mesmo tópico. Se quiser perguntar algo diferente do assunto do seu tópico, crie um novo.
5 - Não cite a mensagem anterior inteira. Você pode citar ou copiar algum trecho dela que achar importante enfatizar, mas ela inteira não tem sentindo algum.
6 - Tente escrever utilizando o português correto. Aqui tem uma boa dica para facilitar isso.

Volume mínimo x Volume por peixe x Tamanho mínimo do aquário

Mensagempor Katsuzo Koike em 02 Set 2010, 23:26

A questão da relação entre tamanho e volume do aquário, e as espécies de peixes que nele habitarão (bem como a quantidade de indivíduos) é recorrente entre os aquaristas, mesmo entre aqueles com certa experiência na atividade.

Como saber com segurança, a dimensão mínima de aquário para determinada espécie? Quantos peixes podem ser colocados juntos? E nem estamos falando do problema da compatibilidade entre espécies diferentes, nem da sociabilidade dos peixes de aquário.

Na natureza, os peixes procuram viver da melhor forma possível, biologicamente falando, para atingirem seu máximo desenvolvimento, seja quanto ao seu crescimento, reprodução ou sobrevivência. Por instinto, cada espécie procura habitar em determinado biótopo, procurando os alimentos disponíveis, locais mais seguros contra predadores e evitando a poluição, caso possível. Nos rios, riachos, lagos e alagados, os peixes dispõem em geral, de muito espaço para nadar e buscar comida. Há milhões de litros de água em seu habitat. Apesar disso, diversos peixes não precisam nadar por todo esse volume, pois basta para ele certo território delimitado. Outras espécies são migratórias, e naturalmente percorrem milhares de quilômetros em sua vida, enquanto outros precisam mudar de ambiente por causa de sua reprodução ou por motivos climáticos (estiagem, por exemplo). Há peixes de superfície, como paulistinhas e peixes machado, espécies que preferem o meio da água (e todo o tanque), como Kinguios e Bandeiras, outros que vivem mais no fundo, como coridoras e cascudos.

Mas quando tratamos da vida dos peixes em aquário, surge essa dúvida, de quanta água e espaço precisariam os peixes para “viver bem”. O mais prudente aqui é fazer a separação entre um peixe "viver" e "sobreviver". Um Beta pode ficar meses em uma garrafa de vidro, e sobreviver, mas será que isso é correto ou agradável para a vida dela? Claro que não. Betas são peixes naturais de alagados rasos com densa vegetação hidrófila, não de garrafas. Mas o equívoco mais comum dos iniciantes na arte do aquarismo é cair na tentação e no entusiasmo de comprar os peixes mais bonitos ou interessantes que encontrar na loja, correr para casa e colocar todos dentro do tanque que acabou de ser cheio. Sem preocupação com as espécies e suas necessidades, com o tamanho do tanque, nem qualidade da água, fica fácil adivinhar o final trágico da estória. É triste saber que muitos de nós aprendemos os cuidados que o aquarismo requer após perder muitos peixes e tanques. Nem todos dispõem de tempo para dedicar-se aos seus peixes e aquários como deveria, nem possui espaço necessário ou verba suficiente para suprir as condições do hobby.

O que pretendemos tratar aqui inclui a questão do volume e tamanho mínimo dos aquários, segundo cada espécie.

Esse tema é interessante, pois é legítimo e louvável o esforço dos aquaristas para oferecerem uma vida boa no aquário para seus peixes. É fundamental não apenas estudar as espécies, mas seu biótopo, os ciclos da biologia aquática, as plantas, a filtragem, doenças, etc. O mais comum nas fichas de peixes, em sites e livros, é fornecer o “tamanho mínimo do tanque” para cada espécie. Alguns sites famosos informam até as dimensões dos tanques para cada tipo de peixe. Por exemplo, no Site Seriously Fish lemos que para um grupo adulto de Tubarões Prateados, o tanque mínimo exigido deve ser de 240cm x 60cm x 60cm ou 906 litros. Claro está que pouquíssimos criadores de Balasharks dispõem de um tanque desses na sala de casa. Isso não impede que os tubarões de água doce sejam criados por milhares de pessoas, em centenas de países.

Mas como saber as dimensões e volumes mínimos de um aquário, conforme o tipo, tamanho e espécies criadas? Já se tentou, nesse sentido, fornecer normas que nem sempre são eficientes, na prática. Na realidade, as variáveis são tantas que as regras terminam sendo inadequadas ou inapropriadas. A mais comum é aquela segundo a qual deveria haver, no aquário, 1 cm de peixe adulto para cada litro de água (em outros lugares lemos 1cm de peixe para cada 2 litros). De modo muito deficiente, essa regra até poderia ser viável para espécies de pequeníssimo porte, como tetras cardinais ou lebistes, no máximo, betas. Assim, quatro neóns de 2 cm cada precisariam de ( 4 x 2=8 L) (ou pelo outro dado, 4 x 2 x 2 = 16 L). De um modo ou de outro, qualquer criador de bom senso não iria colocar 4 neóns nesses volumes. Para peixes maiores, a regra não funciona: imagine um tanque para um único Kinguio de 15 cm, então teríamos: 15 x 1 = 15 L (ou 15 x 2 = 30 L). Ora, deixar esse peixe dentro de 15 L seria morte certa. No tanque de 30 L ele até “poderia” sobreviver, mas alguns meses depois, fatalmente morreria devido ao isolamento, já que eles precisam de companheiros. Uma lenda urbana do aquarismo diz que tanques menores dão menos trabalho que os maiores. Esse equívoco tenta o iniciante a comprar um aquário bem pequeno. Quando as dificuldades começam a aparecer na forma de alta mortalidade de peixes, dificuldade em estabilizar o sistema, doenças freqüentes, excesso de peixes, etc, o criador passa a reconsiderar a sua má escolha.

Por isso, é preciso distinguir entre: A) Tamanho mínimo de tanque para cada espécie; B) O volume mínimo para essa espécie viver; C) Volume mínimo por peixe, no tanque; D) Número adequado de peixes da mesma espécie; E) Região do tanque onde a espécie costuma ficar (fundo, meia-água, superfície, tanque todo).
Os cinco aspectos são importantes, e se complementam. Há peixes que precisam de mais profundidade e pouco comprimento, como é o caso dos acarás Disco e Bandeira. Os Cruzeiros do Sul e Balasharks são o oposto, precisam de mais área/comprimento do que de profundidade. Outros vivem no fundo, e em nada interferem nos peixes de superfície, como paulistinhas ou borboletas, ou de meia-água (cascudos, coridoras). O volume por indivíduo também ajuda muito a equilibrar a quantidade de peixes no aquário, de modo correto. Por exemplo, colocar quatro Kinguios de 15 cm em um aquário de 50 litros, por muito tempo, é inadequado. O mínimo volume para quatro peixes desses deveria ser 200 L, pelo menos.

Em geral, as fichas de peixes fornecem o volume mínimo para cada espécie; poucas fontes arriscam a dimensão mínima (tamanho) do aquário para tal peixe, e quase nenhuma divulga o volume por peixe permitido no tanque. A propósito, qual será o sentido da expressão “tamanho mínimo”? Ao que parece, indica as dimensões de comprimento, largura e altura que proporcionam os peixes atingirem seu tamanho médio (nem sempre o seu máximo), com conforto, para poderem atingir sua maturidade. Esse “tamanho” tem um volume correspondente, mínimo para cada espécie, obtido com base mais na experiência que em fórmulas mirabolantes.
Devemos atentar que um mesmo volume pode caber em dimensões diferentes (Ex: um tanque de 100cm x 100cm x 60cm é equivalente em volume a outro de 200cm x 60 x 50cm, ou seja, ambos contêm 600 L). Pode haver confusão entre volume mínimo do tanque e volume mínimo por peixe, nas fontes disponíveis. Como exemplo, cito a confusão com o Tetra Cardinal. Uns dizem que um tanque mínimo para ele (ou para um grupo deles?) é de 100 L, já outros informam que bastam 15 a 20 L (para cada um, ou para um cardume pequeno?). O problema é que alguns peixes são de cardume, como os tetras e barbos, ou gostam de viver em pequenos grupos, como Kinguios, coridoras e Bótias Palhaço. Uma variante que também deve ser levada em conta é o tamanho atual (e máximo possível) de um peixe, e sua idade. Por exemplo, grandes ciclídeos podem alcançar mais de 15 cm em poucos meses, enquanto Bótias demoram anos até atingir esse comprimento. Um filhote de Gourami Beijador de 5 cm pode viver bem por um tempo em um aquário de 100L, mas não para sempre. Aí, ele nunca chegaria a seu tamanho máximo, de 30 cm.
Como sempre, partindo de pesquisas em sites e livros sobre aquarismo, fornecerei uma lista de peixes cujos tanques e volumes mínimos sejam: 1. Abaixo de 100 L ; 2. Entre 100 e 500 L e 3. Mais de 500 L para UM único peixe de cada espécie:

ABAIXO DE 100 L:
Acará Bandeira (Pterophyllum scalare): 50L
Acará Disco (Symphysodon sp.): 60 L
Apistograma ( Apistogramma sp., Microgeophagus sp.): 50 L
Barbo Cereja (Puntius titteya): 10 L
Barbo Conchônio (Puntius conchonius): 30 L
Barbo Ouro (Puntius sachsii): 15 a 20 L
Barbo Sumatra (Barbus Tetrazona): 15 a 20
Betta (Betta Splendens): 10L
Boca de Fogo (Thorichthys meeki): 45 L
Colisa (Colisa Lalia): 50 L
Copeína (Copeina guttata): 90L
Coridoras (Corydoras): 35L
Danio Pérola (Danio albolineatus): 15 L
Danio Leopardo (Brachydanio frankei): 15 L
Danio Gigante ( Devario aequipinnatus): 20 L
Danio zebra ou Paulistinha (Danio rerio): 10 L
Dianema (Dianema longibarbis): 50 a 70 L
Dojo (Misgurnus anguillicaudatus): 70 L
Espada-sangue/ verde (xiphophorus helleri): 20 L
Gourami Chocolate (Sphaerichthys osphromenoides ): 20L
Gourami Azul (Trichogaster trichopterus): 30 L
Gourami Mel (Colisa chuna ): 15L
Guppy ou Lebiste (Poecilia reticulata) : 10 L
Hasemania Nana: 30 L
Mato Grosso (Hyphessobrycon eques): 20 L
Melanotênia (Melanotaenia boesemani ): 75 L
Bótia Azul (Yasuhikotakia modesta): 100L
Calceus (Chalceus macrolepidotus): 100 L
Killifish (várias espécies): 15L
Molinésia ( Poecilia latipinna, Poecilia Velifera, Poecilia sphenops ): 30 a 40 L
Nanóstomo (nannostomus trifasciatus): 75 L
Olho de Fogo (Moenkhausia sanctaefilomenae): 40 L
Peixe borboleta (Carnegiella strigata): 40 L
Peixe Japonês ou Kinguio (Carassius auratus): 50 a 80 L
Platy (Xiphophorus Maculatus, Xiphophorus variatus): 30 L
Rasboras ( Rasbora sp.): 15 L
Rodóstomo (Hemigrammus rhodostomus): 30 L
Tamboatá (Callichthys callichthys): 50 L
Tanictis (Tanichthys albonubes): 15 L
Tetra Neon Negro (Hyphessobrycon herbertaxelrodi): 15 a 30 L
Tetra Fantasma Negro (Megalamphodus megalopterus): 15 a 30 L
Tetra Cardinal (Paracheirodon axelrodi): 15 a 20 L
Tetra Colombiano (Hyphessobrycon ecuadoriensis ): 20 a 30 L
Tetra Cego (Astyanax fasciatus mexicanus): 20 a 40 L
Tetra Buenos Aires (Hemigrammus caudovittatus): 20 a 40 L
Tetra Rosáceo (Hyphessobrycon erythrostigma): 20 a 30 L
Tetra Enfermeirinha (Aphyocharax anisitsi) : 20 a 50 L
Tetra do Congo (Phenacogrammus interruptus): 100 L
Tetra Diamante (Moenkhausia pittieri): 20 a 50 L
Tetra Imperador (Nematobrycon palmeri): 20 a 50 L
Tetra Limão (Hyphessobrycon pulchripinnis): 20 a 50 L
Tetra Luminoso ou Glowlight (Hemigrammus erythrozonus): 20 a 40 L
Tetra Neon (Paracheirodon innesi ): 15 a 30 L
Tetra pinguin (Thayeria obliqua): 30 a 60 L
Tetra Preto (Gymnocorymbus ternetzi): 30 a 50 L
Tricogaster Léri (Trichogaster leeri): 40 a 60 L
Tricogaster Prata (Trichogaster microlepis ): 40 a 60 L



ENTRE 100 E 500 L
Acará Severo (Cichlasoma severum): 200L
Arqueiro (Toxotes jaculatrix.): 500 L
Baiacu amazônico (Tetraodon biocellatus): 110L
Bótia Palhaço (Botia Macracanthus): 150L
Carpa comum (Cyprinus carpio): 370 a 500 L
Cascudo Comum (Hypostomus plecostomus): 280 L
Ciclídeo Midas (Amphilophus Citrinellus): 280 L
Cruzeiro do Sul (Hemiodus gracilis): 100 a 130 L
Festivum (Cichlasoma festivum): 150L
Frontosa (Ciphotilapia frontosa): 260 L
Gourami Beijador (Helostoma temminckii): 100L
Ituí Cavalo (Apteronotus albifrons): 200 L
Jack Dempsey (Archocentrus Octofasciatus ): 200L
Lábeo Negro (Labeo chrysophekadion): 260L
Lábeo Bicolor (Epalzeorhynchos bicolor): 150L
Lábeo Frenatus (Epalzeorhynchos frenatum): 150 L
Livingstone (Nimbochromis livingstonii): 250 L
Oscar (Astronotus ocellatus ): 200 a 300 L
Pacu Prateado (Dólar de Prata) (Metynnis hypsauchen ): 300 L
Panaquê (Panaque nigrolineatus): 200 L
Peixe gato de Cristal ( Kryptopterus bicirrhis ): 100 a 300 L
Peixe Gato Invertido (Synodontis nigriventris): 100 a 150L
Peixe Gato Rafael (Agamyxis pectinifrons): 100 L
Piau ou Leporino ( Leporinus sp.): 200 L
Piranhas ( pygocentrous cariba e serrasalmus sp): 150 L
Pimelodus (pimelodus pictus ): 130 a 200 L
Tubarão Bala (Balantiocheilus melanopterus): 300 L
Tucunaré (Cihcla Ocellaris): 470 L
Zebra laranja (Pseudotropheus zebra): 100 a 200 L

MAIS DE 500 L:
Aruanã Prateada (Osteoglossum bicirrhosum): 1000L ou mais
Barbo Schwannefeldi (Barbonymus schwanenfeldii): 800 L
Pangasius (Pangasius hypophthalmus): 5000 a 7500 L
Peixe Gato de Canal (Ictalurus Punctatus): 2000 a 3700 L
Peixe gato Colombiano ou Jordani (Arius seemani): 1000L

Lembrando que esses dados não são rigorosos, e que o "ideal" nem sempre é a realidade possível. Os menores (quando adultos) podem ficar em menores tanques. Os que crescem mais devem ser colocados em grandes tanques (mais de 500L). Atente em reconhecer que muitos peixes são de cardume ou vivem melhor em grupos.

A questão do volume por peixe não nos isenta de ter bom senso, na hora de compor um plantel de peixes no aquário. Por exemplo, como povoar bem um tanque plantado de 300 L? Todos sabem que se um volume tem matematicamente 300 L, na prática, conterá menos água, pois essa conta não incluiu o substrato, objetos usados no interior (pedras maiores, plantas, troncos, bombas, etc), nem a parte do tanque que fica acima do nível da água, já que ninguém enche o recipiente até transbordar. Em um cálculo aproximado, se retirarmos 10% a 15% desse volume, pelos aspectos que citamos, ficaria apenas 270 a 255 L de água no aquário. Agora podemos pensar nos peixes. Cerca de 10 tetras cardinais requerem uns 100 L de água (não será muito?). Mais uns 05 mato-grossos (60 L), 06 coridoras (60 L), 06 paulistinhas (60 L). Somando tudo, dá 280 L e 27 peixes. Ora, é possível contestar esse número, pois há belos aquários de 270 L com mais peixes que esse, e vivendo com harmonia e saúde. O que não dá é colocar mais uma Bótia Pahaço, um Lábeo Bicolor, um Lábeo Frenatus, duas Colisas e um Comedor de Algas Chinês nesse tanque. Essa soma mecânica não leva em conta a região do tanque que cada espécie ocupa, nem a harmonia entre elas.
Editado pela última vez por Katsuzo Koike em 20 Set 2010, 14:39, em um total de 9 vezes.
Avatar do usuário
Katsuzo Koike
Equipe AqOL
 
Mensagens: 1729
Registrado em: 08 Jul 2010, 17:45
Localização: Recife-PE
Fotos no Portal AqOL: 2
Artigos publicados no Portal AqOL: 10
Aquário do Mês do AqOL: 0

Re: Volume mínimo x Volume por peixe x Tamanho mínimo do aqu

Mensagempor Xica em 03 Set 2010, 10:54

Dia, Katsuzo.
Dá gosto ler estes seus artigos.
Uma coisa q sempre me deixou em dúvida é exatamente esta do volume e dimensões do aquário.
Se vc lê a ficha técnica de um peixe lá diz "vol. mínimo do aquário X litros", mas não especifica se para 1 indivíduo, um pequeno grupo (peixes cardumeiros), se este volume seria correto para um aquário onde existirão outras espécies além do peixe em questão, e por aí vai.
Então a coisa vira um interessante quebra-cabeças, pq trabalha-se com uma série de variáveis: quais são as espécies q se pretende manter, tamanho na fase adulta, solitário/casal/cardume, área q mais ocupa no aqua (terço inferior, médio, superior, tudo), e isto sem ainda considerar o comportamento dos peixes. E dá-lhe leitura e pesquisa, não só para proprocionar um ambiente salubre e confortável aos peixes, mas tbém para evitar futuras (e normalmente próximas) dores de cabeça.
Qdo comecei a ler e pesquisar sobre kinguios, vi um tópico onde a pessoa mantinha 6 kings em um aquário de cerca de 70 litros. Aquário, água e peixes, mais nada. Mesmo sem ter conhecimento nenhum, fiquei com a maior pena de ver os peixes vivendo daquele jeito.
Tenha um bom dia!
"Para os peixinhos do aquário, quem troca a água é Deus."
Mario Quintana.
Avatar do usuário
Xica
Destaque
 
Mensagens: 6538
Registrado em: 29 Jan 2010, 18:19
Localização: Curitiba-PR
Fotos no Portal AqOL: 10
Artigos publicados no Portal AqOL: 3
Aquário do Mês do AqOL: 1

Re: Volume mínimo x Volume por peixe x Tamanho mínimo do aqu

Mensagempor Marne Campos em 03 Set 2010, 13:19

Olá Xica

Entendi como uma crítica às fichas do AqOL, mesmo não sendo sua intenção. :lol:

Quando montamos as fichas da maneira como você falou, o objetivo é que entendimento seja o seguinte.

Neon (Paracheirodon axelrodi)

...
Comportamento: Peixe pacífico de comportamento extremamente coletivo, deve ser mantido em grupos de no mínimo 10 indivíduos.
...
...
...
Aquário mínimo: 30 litros


O entendimento de quem lê essa ficha é de que em 30 litros é possível manter 10 Neons que é o mínimo recomendaod para este peixe, ou seja, a litragem procura ser a mínima recomendada para mantê-los nas mínimas condições de viver (não sobreviver). Claro que para um grupo de 100 Neons, 30 litros é pouco, da mesma forma que 5 litros para um Neon, seria suficiente, porém o fato dele viver em grupo desqualifica tal volume de água.

Espero ter ajudado.
Marne Campos
Imagem
XI Concurso Brasileiro de Aqua-Paisagismo [CBAP] - http://www.cbap.com.br
Avatar do usuário
Marne Campos
Administrador
 
Mensagens: 13371
Registrado em: 17 Set 2003, 02:42
Localização: Campinas/SP
Fotos no Portal AqOL: 236
Artigos publicados no Portal AqOL: 54
Aquário do Mês do AqOL: 3

Re: Volume mínimo x Volume por peixe x Tamanho mínimo do aqu

Mensagempor Katsuzo Koike em 03 Set 2010, 15:33

Olá, Marne e Xica, obrigado pelas mensagens! Realmente, esse tema dá o que discutir. A conclusão que tive depois de fazer essa pesquisa foi que devemos ter bem menos peixes no aquário do que o número que gostaríamos, para preservar sua saúde e conforto. Para piorar, muitos não estudam a compatibilidade ou não entre espécies, e mistura Kinguio com Acará Bandeira, Lábeo Negro e Neóns, etc... Essa lista acima não foi inventada, mas pesquisada em sites e livros. Fica claro que em alguns casos, o volume informado não seria para UM peixe apenas, mas um grupo mínimo. Essa "conta" deve ser feita com muito bom senso, não acham?
Avatar do usuário
Katsuzo Koike
Equipe AqOL
 
Mensagens: 1729
Registrado em: 08 Jul 2010, 17:45
Localização: Recife-PE
Fotos no Portal AqOL: 2
Artigos publicados no Portal AqOL: 10
Aquário do Mês do AqOL: 0

Re: Volume mínimo x Volume por peixe x Tamanho mínimo do aqu

Mensagempor Xica em 03 Set 2010, 17:09

Olá, vcs.
Marne, não considere como crítica o q escrevi, nem para o bem nem para o mal.
É q qdo não se entende nada da coisa, exatamente como eu no início deste ano, nem todas as informações parecem tão óbvias como são. Inclusive um iniciante fica muitas vezes perdido pq de ficha para ficha, site para site, fórum para fórum, as informações sobre um mesmo peixe variam. pH, temperatura, litragem do aqua... Sobre kinguios, por ex., já li a recomendação de 40 litros para cada peixe adulto. Já pensou um oranda, todo gordinho, em 40 litros? Desconfortável.
De fato, Katsuzo, este é um bom tema para trocar idéias.
Abraços.
"Para os peixinhos do aquário, quem troca a água é Deus."
Mario Quintana.
Avatar do usuário
Xica
Destaque
 
Mensagens: 6538
Registrado em: 29 Jan 2010, 18:19
Localização: Curitiba-PR
Fotos no Portal AqOL: 10
Artigos publicados no Portal AqOL: 3
Aquário do Mês do AqOL: 1

Re: Volume mínimo x Volume por peixe x Tamanho mínimo do aqu

Mensagempor Katsuzo Koike em 03 Set 2010, 18:27

Pois é, Xica, o assunto não é simples. Minha teoria é que quanto maior, melhor, quando o assunto é aquário. Gosto dos tanques maiores porque os peixes crescem mais, e dá para ter peixes diferentes, territoriais, de cardume, e até alguns agressivos, sem tanto problema de espaço. O problema de todo aquarista é dispor de espaço mesmo. Ultimamente, tenho tentado juntar lago de jardim com aquário, em um mesmo recipiente, ou seja, um tanque de concreto com janela de vidro. Certa época consegui quatro Chalceus (conhece?), e os coloquei em um tanque de 450 litros, junto com tanychtys, barbos e tetras. Acredite, esse tanque ficou pequeno. Mudei-os para meu antigo lago de 11mil litros, e de forma impressionante, esses peixes ficaram como selvagens, totalmente ambientados e tranquilos. E olhe que circulavam entre outras espécies, como Balasharks, lábeos bicolor, tetras e até cardumes de neóns.

A propósito, o pessoal de sites e fóruns de aquarismo pena para arranjar um número compatível de volume, dimensão de tanques, peixes, etc.
Avatar do usuário
Katsuzo Koike
Equipe AqOL
 
Mensagens: 1729
Registrado em: 08 Jul 2010, 17:45
Localização: Recife-PE
Fotos no Portal AqOL: 2
Artigos publicados no Portal AqOL: 10
Aquário do Mês do AqOL: 0

Re: Volume mínimo x Volume por peixe x Tamanho mínimo do aqu

Mensagempor Katsuzo Koike em 20 Out 2010, 17:10

Um amigo meu que leu este artigo ficou impressionado com a litragem para apenas um peixe, e disse que grande parte desses números eram exagerados, por exemplo, um coridora para 35 L. Bem, pode até ser, mas com toda certeza, essa litragem por cada espécie, deixará os peixes bem confortáveis no tanque. O cálculo divulgado em outros sites, de 2 litros de água para cada 1cm de peixe, nem sempre dá certo. Por exemplo, um peixe de 2 cm (que peixe?) para 4 litros, por exemplo, um neón, não seria indicado. Esses peixes vivem em cardume. Não digo, por exemplo, que uma beta de 2cm morreria em 4 litros, mas ela vai apenas "sobreviver". É isso que queremos no hobby? Testar os limites de cada peixe? Bem, fica a discussão....
Avatar do usuário
Katsuzo Koike
Equipe AqOL
 
Mensagens: 1729
Registrado em: 08 Jul 2010, 17:45
Localização: Recife-PE
Fotos no Portal AqOL: 2
Artigos publicados no Portal AqOL: 10
Aquário do Mês do AqOL: 0

Re: Volume mínimo x Volume por peixe x Tamanho mínimo do aqu

Mensagempor Xica em 20 Out 2010, 22:07

Um item q acho importante é o comprimento do aquário. Voltemos aos 35l para o corydoras. Altura da coluna d'água não vai fazer diferença para ele. Mais proveitoso é investir na extesão do aquário. Parece-me q com a maioria dos peixes é assim.
Mas este cálculo de l/cm de peixe, não vejo respaldo nisto. Sempre acho q vai faltar espaço para a natação.
Opinião minha.
"Para os peixinhos do aquário, quem troca a água é Deus."
Mario Quintana.
Avatar do usuário
Xica
Destaque
 
Mensagens: 6538
Registrado em: 29 Jan 2010, 18:19
Localização: Curitiba-PR
Fotos no Portal AqOL: 10
Artigos publicados no Portal AqOL: 3
Aquário do Mês do AqOL: 1

Re: Volume mínimo x Volume por peixe x Tamanho mínimo do aqu

Mensagempor Katsuzo Koike em 05 Jan 2012, 16:25

Olá, todos! Retomo esse tópico sobre a capacidade dos aquários em suportar certa quantidade de peixes. Esse problema é recorrentemente enfrentado pelos amigos criadores, principalmente os iniciantes que fazem a primeira montagem. Basta ver a quantidade de perguntas sobre isso: quantos peixes posso colocar no aquário? É difícil, sem experiência com peixes, saber quanto comprar. Somado a isso, tem a ansiedade de todos nós na hora de escolher os peixes numa loja bem sortida de espécies. Quem não levou um peixe novo (que mal conhecia) para casa atire a primeira pedra! Mês passado mesmo, terminei levando para casa dois gatos Synodontis que estavam em promoção numa loja, para um aqua pequeno de 130L brutos (estão com 4 e 5cm ainda). Sei que não vou ficar com eles por muito tempo, mas quero criá-los por uns meses, para saber como são. Coloquei duas cavernas de barro cozido (cacos), onde eles passam o dia. Não vou me alongar muito sobre tais peixes agora, mas nesse tempo eles já estão hiper-adaptados, e são peixes extraordinários, muito bonitos...e até agora não destruíram as plantas, segundo muitos dizem por aí; nem agrediram ninguém (são os únicos peixes de fundo do aqua). Talvez quando crescerem mais, eu tenha que rever minha opinião, hehe.
Voltando ao tema da superlotação dos aquários, digo que o maior erro de muito amigos é começar com poucos peixes (por ex., em um aqua de 80L)...e a cada ida à loja de Aquário trazer mais três ou quatro indivíduos....após dois ou três meses, o tanque já estará superlotado, inclusive com os terríveis erros de incompatibilidade de espécies (seja por comportamento ou por ambientação). O sistema colapsa, e o resultado é a degradação da água com morte de peixes. A regra que deveria comandar os nossos impulsos seria: "Sempre tenha bem menos peixes do que desejaria". Depois da compra dos Synodontis, parei de comprar peixes...e mesmo sem perder ninguém* há quase um mês, pretendo manter meu plantel, pois em time que está ganhando não se mexe! Abçs a todos!

* Três semanas atrás, perdi uma Tetra Serpae grávida, inexplicavelmente, pois nenhum outro peixe morreu...acho que não suportou o parto.
Avatar do usuário
Katsuzo Koike
Equipe AqOL
 
Mensagens: 1729
Registrado em: 08 Jul 2010, 17:45
Localização: Recife-PE
Fotos no Portal AqOL: 2
Artigos publicados no Portal AqOL: 10
Aquário do Mês do AqOL: 0


Voltar para Montagem e Manutenção de Aquários de Água Doce

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante

cron