Filamento ou "fiapo" saindo de alguma parte do corpo do peixe.
Doença parasitária muito comum em aquários onde a quarentena não é observada, o parasita é facilmente transmitido de um aquário ao outro por meio de peixes, plantas ou qualquer outro utensílio contaminado.

Agente responsável: Lernaea sp. (parasita, e não verme).


Sintomas: O parasita se fixa em um ponto do peixe, podendo ser mais de um ponto, onde se alimenta do sangue do hospedeiro. O peixe emagrece e fica enfraquecido. As feridas causadas por ele podem evoluir para infecções bacterianas.


Profilaxia: Adquirir peixes de boa procedência e efetuar quarentena antes de introduzir novos animais ou plantas no aquário.


Tratamento:
Remover com uma pinça, tomando cuidado para retirar o parasita desde a sua base, não restando nenhum pedaço no peixe. Caso a lesão após a retirada do parasita esteja profunda, limpar a ferida com permaganato de potássio usando um cotonete para isso.

Obs: Indicamos que antes de iniciar qualquer tratamento procure um veterinário especializado em peixes ornamentais, pois ele é o profissional com competência técnica para realizar exames clínicos, reconhecer com certeza a doença e indicar o tratamento viável para o caso.