Você já deve ter visto em revistas, livros e na internet aquários maravilhosos que parecem verdadeiros jardins subaquáticos e ter se perguntado, "Como ele consegue", nesse artigo vou contar-lhe um dos segredos para que você também possa ter um aquário tão belo quanto. 

É claro que o CO2 não é o único motivo pelo qual esses jardins são possíveis, há muitos outros fatores que influênciam para o bom desenvolvimento das plantas no aquário, como iluminação, o uso de fertilizantes, uma boa manutenção etc, mas muitas vezes você pensa estar fazendo tudo certo e não alcança o resultado esperado, o CO2 é muito importante para conseguir um aquário bem plantado, pois as plantas necessitam dele para realizar a fotossíntese e assim se desenvolver.    

Talvez você possa ficar meio inseguro em aumentar a quantidade de CO2, pensando que assim poderia prejudicar os peixes, mas tomando cuidado isso não acontecerá, partindo do princípio que aumentado o CO2, as plantas através da fotossíntese o consumirão e produzirão oxigênio, assim você percebe que a natureza é tão perfeita que acaba se formando um ciclo em seu aquário. Mas tome cuidado, pois com a adição de CO2, o pH tende a cair.

Injetores de CO2 que são comercializados por aí, são muito caros e nem todos nós podemos adquirir um desses, então como fazer? É possível construir um injetor de CO2 caseiro que também dará ótimos resultados, abaixo seguem instruções de como confeccioná-lo.

Material necessário:

  • 1 garrafa de refrigerante de 2L vazia com tampa
  • Mangueira transparente dessas que se vende em lojas de aquário
  • 1 pedra porosa
  • 2 copos de 200ml de açúcar
  • 1 colher de chá rasa de fermento biológico desidratado*
  • 1 colher de café bem cheia de bicarbonato de sódio

Dica: Se houver dúvida quanto as medidas solicite ajuda da sua mãe ou esposa.
*Não confundir com o fermento em pó químico, que se parece com bicarbonato de sódio.

Dissolva os dois copos de açúcar em um litro de água sem cloro, em um copo adicione o fermento biológico em água também sem cloro, depois misture as duas soluções e meia colher de bicarbonato de sódio. Encha a garrafa com essa mistura até 10cm da tampa, complete com água sem cloro, se necessário. Depois de uma hora a produção já deve estar suficiente, feche com a tampa que você deve furar e introduzir a mangueira sendo vedado com silicone em volta do furo, a mangueira não pode alcançar a solução para não haver o risco dela se misturar com a água do aquário.

 

 

O processo pelo qual é produzido o CO2 é simples, as leveduras produzem enzimas que decompõem as moléculas de açúcar, gerando o álcool e o CO2, com o tempo a grande concentração de álcool acaba matando as leveduras e então é necessário substituir a solução por uma nova.

Açúcar + Leveduras -------------> Álcool + CO2


O tempo de duração da solução varia de acordo com a quantidade de açúcar e fermento biológico, mais açúcar e menos fermento ela irá durar mais tempo mas será em menor intensidade, menos açúcar a mais fermento biológico durará menos tempo e será em maior intensidade, com as medidas recomendadas a solução costuma durar de 10 a 15 dias.


Coloque a pedra porosa a 5 cm da superfície e depois vá descendo se achar que a quantidade de CO2 não é suficiente, pois quanto maior o tempo de contato do gás com a água maior será a sua dissolução, você vai precisar monitorar o pH e a dureza KH no começo até se adaptar ao equipamento, com o tempo aprenderá a quantidade certa para seu aquário e como manter sob controle o pH e KH.

Através do pH e KH é possível saber a quantidade de CO2 dissolvido no aquário usando a tabela a seguir:

 

KH/pH

6,0

6,4

6,8

7,2

7,6

8,0

1

30

11

4,5

2,0

1,0

0,5

2

59

24

9,5

3,5

1,5

0,5

3

87

35

14,0

5,5

2,0

1,0

4

118

47

18,5

7,5

3,0

1,0

5

147

59

23,0

9,5

3,5

1,5

6

177

71

28,0

11,0

4,5

2,0

8

240

94

37,0

15,0

6,0

2,5

10

300

118

47,0

18,5

7,5

3,0

15

440

176

70,0

28,0

11,0

4,5

20

590

240

94,0

37,0

14,5

6,0

Os valores verdes são muito altos para os peixes.
Tabela não utilizável com filtros contendo turfa, xaxim ou outros materiais acidificantes.

Instruções: Medir os valores de pH e KH, procurar os valores na tabela, encontrando os valores de CO2 em mg/L na água do seu aquário.

Sobre o autor:
Marne Campos
Autor: Marne Campos
Marne Campos, natural de Campinas-SP, é aquarista desde 1990 quando, aos 7 anos de idade, ganhou o seu primeiro aquário e se apaixonou completamente pelo aquarismo. Bacharel em Análise de Sistemas pela PUC-CAMPINAS e técnico em Eletro-Eletrônica pela UNICAMP, criou o projeto Aquarismo Online em 1999, além outras iniciativas ligadas ao aquarismo que vieram logo em seguida, entre elas a idealização do CBAP (Concurso Brasileiro de Aquapaisagismo) onde ocupou o cargo máximo por 12 anos. Dedica-se à aquários plantados desde 1998, tendo como principal área de interesse atualmente, a manutenção de ambientes aquáticos por longos períodos.