As algas são, sem dúvida, o pior pesadelo para quem possui um aquário plantado. Uma das pragas mais comuns de se desenvolver em um aquário plantado está uma bactéria fotossintetizante: a Cianofícea, ou Cianobacteria.

As Cianofíceas são seres primitivos e bem resistentes, unicelulares ou organizadas como filamentos. Podem ser encontradas em diversos ambientes e suportando situações extremas, desde intenso calor a intenso frio, ambientes secos, úmidos, na água doce ou salgada, contudo, são mais frequentes em água doce.

Cianofíceas ou Algas AzuisSão também conhecidas por algas azuis, porque no início pensava-se que eram algas, devido a sua capacidade fotossintetizante. Azuis porque o primeiro exemplar catalogado era dessa coloração, apesar de serem encontradas em diversas cores. Seus pigmentos estão relacionados aos tipos de clorofila utilizados na fotossíntese. Curiosidade: o pigmento que dá origem ao nome “cianofícea” é denominado ficocianina.

São de aparencia gosmenta e gelatinosa. Possuem toxinas utilizadas para espantar e causar danos a possíveis predadores. No entanto, quando em grandes quantidades podem poluir mananciais de água com suas toxinas, causando odor desagradável na água e deixando um gosto marcante. Suas toxinas atacam o fígado e o sistema nervoso, hepato e neurotoxinas, respectivamente.

Como descrito acima, não é dificil identificá-las: em aquários, geralmente apresentam cor verde escuro, aparência gelatinosa e odor forte semelhante a mofo.

Embora não se pode afirmar categoricamente que suas toxinas causem danos aos peixes, deixam o aquário com uma aparência muito desagradável e prejudicam o crescimento das plantas. Como aderem a qualquer superfície, cobrindo tudo como uma espécie de capa, acabam por sufocar as plantas, que aos poucos morrem.

Como se reproduzem: De forma assexuada, por cissiparidade, ou seja, a célula se divide formando duas células, ou ainda liberando esporos quando organizadas como filamentos. Os esporos são chamados de acinetos. Liberam-se da colônia mãe e dão origem à uma nova colônia quando encontram um local propício.
Cianofíceas ou Algas Azuis

Como aparecem no aquário: São amplamente beneficiadas por desequilíbrios de nutrientes na coluna de água, geralmente causados por uma manutenção deficiente e má qualidade da agua resultante da manutenção fraca. Um indício de que a má qualidade da água favorece o surto de cianoficeas é que em locais onde há oferta de luz, fósforo, nitrogênio e outros poluentes orgânicos, podem ser encontradas em profundidades consideráveis.

Como combatê-las: A melhor maneira é a prevenção, um aquário com manutenção adequada e equilíbrio de nutrientes dificilmente sofre com surtos dessa bactéria. Caso o surto já esteja em estado avançado e haja a necessidade de se eliminar a colônia em poucos dias, utiliza-se antibióticos. Como ficam as bactérias do filtro biológico? As cianóficeas são classificadas como gram-negativas. Já o filtro biológico apresenta bactérias tanto gram positivas quanto gram negativas*. O tratamento afetará as gram negativas. Desse modo, nem todas as bactérias são perdidas. Mesmo assim, deve-se ficar atento à possibilidade de um desequilibrio biológico. Por isso, é importante monitorar, através de teste químico, a concentração dos compostos nitrogenados mais tóxicos (amônia e nitrito) para que não afete os peixes.

CápsulasNo tratamento, serão utilizadas cápsulas de 250mg de Eritromicina (Nome comercial: Ilosone ou Eritrex) para cada 100 litros de água. O medicamento deve ser adquirido em forma de cápsulas, evite líquido ou comprimidos revestidos pois estes contém corantes entre outras substâncias que não serão bem vindas. Caso não encontre o medicamento na forma adequada, pode-se manipular em fármacias especializadas. Portanto,

Calcule a quantidade de água do aquário, multiplique o comprimento pela largura e depois pela altura em centímetros, divida o resultado por 1000 e terá o valor em litros, lembre-se de descontar a área ocupada por substratos e objetvos de decoração no momento de inserir as medidas.

A Eritromicina é de difícil solubulidade. Por isso, a sugestão para dissolvê-la é:
Triture bem o antibiótico
Pingue umas gotas de agua sobre o pó
Faça uma pasta com o material
Vá despejando mais água para dissolver o máximo possível do comprimido. Utilizar água morna pode ajudar.

Quanto melhor dissolvido o antibiótico, melhor o resultado.


Durante três ou quatro dias, aplique a dosagem recomendada. Não esqueça de remover a filtragem química. Ao final do tratamento, efetue uma troca de água de 50% e volte a adicionar o material de filtragem química, seja carvão ativado ou resina.

LEITURA ADICIONAL:
*O que são bactérias gram positivas e negativas? Leia aqui:
http://www.josevalter.com.br/estudante/biologia.htm

Sobre o autor:
Keller Duarte Steglich
Autor: Keller Duarte Steglich
Keller Steglich, também conhecido como Lord_Wolf, é natural de Santa Maria-RS. Locutor e redator de rádio, começou a pesquisar sobre aquarismo em 2006 e a praticar o hobby no ano seguinte, aos 17 anos, tendo sido integrante da equipe AqOL durante o ano de 2010. Sua maior dedicação sempre foram os aquários plantados e entre suas plantas preferidas estão Anubias nana, Cryptocorynes, Valisnérias, Bolbitis, e Rotalas, já quanto à fauna, os pequenos Tetras e as Coridoras são os peixes que mais gosta.