De início gostaria de dizer que este layout ensina muita coisa porque é bastante técnico, precisamos treinar nossos olhos a reconhecer os princípios estéticos. 

Observando a fotografia deste layout que ficou em 6º lugar no ADA Contest 2004, tente responder:

Setup:

Titulo: Summer Breeze
Proprietário: Sumihiro Sugai, do Japão
Tamanho: 120X40X45
Flora: Rotala rotundifolia var green, Glossostigma elatinoides, Vesicularia sp.
Fauna: Paracheirodon simulans, Otocinclus sp, Caridina japonica.
World Ranking: ADA 2004, 006 

 

  • Que tipo de layout o aquarista usou?
  • O que define este layout?
  • Quais as técnicas empregadas?
  • O que torna este layout funcional?
  • Qual o apelo deste layout?
  • Em termos de manutenção que cuidados especiais parecem ter sido tomados?
  • O que há de mais na disposição dos elementos?
  • Por que estes elementos de composição e foram usados em detrimento de outros?

O estilo do layout 

Layout Espelho, em U e em V creio que sejam sinônimos, definí-los para se encaixar nestas nomenclaturas a meu ver criaria somente uma classificação mais ampla do que necessária e até redundante, mas isso é um opinião pessoal. A questão é que este tipo de layout indefinidamente é dividido de forma a ocupar principalmente os lados do aquário, os lados podem ou não serem simétricos, e o centro da montagem pode ou não ser vazia.

A simetria é sempre um risco visto que pode tornar o layout enfadonho, monótono... tanto que apesar desta montagem parecer ligeiramente simétrica nota-se rapidamente que na verdade o lado direito é menor do que o lado esquerdo, este é o tipo de arranjo que normalmente vemos quando o aquarista opta por usar as mesmas espécies de plantas em ambos os lados, o que a meu ver seria a decisão mais óbvia a se tomar. 

Como pode ser visto acima o aquarista optou pela quase simetria da montagem e fez uso de uma área vazia ali no meio, esse vazio muito conhecido por "Vazio Amano" é muito comum em aquários orientais, eles procuram usar o espaço como aliado na criação de um layout harmonioso, neste caso muito bem empregado o espaço não só causa uma sensação de amplitude como de profundidade. É uma prática muito comum mas não é uma opção absoluta, há também a possibilidade de se fazer uma transição suave de um lado para o outro, simplesmente criando um área de plantas mais baixas ao centro.

A proporção de ouro

O aquarista optou por um layout com leitura da esquerda para direita, sendo assim o ponto focal priorizado foi exatamente o da esquerda, vejam a linha vermelha: 

Recomendo que você saiba pelo menos o básico sobre a proporção de ouro, pois vai ser muito útil nos seus projetos. Note que o elemento usado como destaque, a grande pedra, não está exatamente no ponto focal pois está um pouco mais para direita, mais um pequeno exemplo de fuga da simetria. Note também que lado direito da montagem respeitou o ponto focal da direita, se você imaginar a linha vermelha do lado direito notará que este lado está além deste ponto.

A poda

A poda é importante não só para deixar as plantas mais bonitas, ela também é uma ferramenta importante para se criar a ilusão de movimento e profundidade, o aquarista deve um trabalho primoroso na poda destas duas moitas. 

As linhas ilustram exatamente o que o aquarista queria como resultado, além do volume proporcionado a poda em camadas dá a sensação de profundidade necessária para o layout, tornando sua observação muito agradável.

É muito importante ter em mente que a poda precisa ser treinada, além disso o aquarista precisa conhecer o ritmo de crescimento de cada planta envolvida no layout, precisa saber quais crescem mais rápido ou mais devagar para poda-las no momento certo, uma poda mal feita ou executada no momento errado pode ser o fim de um layout. Por isso é importante saber como executar uma poda.

Movimento

Não, não é o movimento da água.
Quando você observa um quadro de uma paisagem, como por exemplo um dos jardins de Van Gogh, você não tem a impressão de que as nuvens estão passando, o vento está soprando e movendo os ramos das árvores ou que uma borboleta vai sair voando a qualquer momento? Esse é o movimento que nós procuramos.

Os elementos que compõe um layout podem ser arranjados de modo que sua disposição e a sua forma figurem um movimento para o layout, é como uma ilusão de óptica onde você vê uma coisa que não existe ou pelo menos a sente. 

É preciso pelo menos tentar encarar o Aquascaping como uma arte, vendo sob este aspecto um pouco de conhecimento técnico cai muito bem. Na foto acima as linhas vermelhas ilustram o movimento de queda natural da planta (Rotala rotundifolia "Green") que foi reforçado pela poda, já as linhas azuis mostram como o aquarista nos prendeu em um visão de infinito, onde será que essas linhas irão se cruzar?

As rochas

Ainda sobre as pedras, eu acho que todo mundo que acompanhou o julgamento dos tanques da AGA 2004 deve ter notado o comentário que foi feito para o tanque do Juliano Prado em relação as pedras o qual transcrevo aqui:

Takashi Amano escreveu:

"(...)The stone is too white! It could be better if the stone was covered with moss."
"(...) A pedra é muito branca! Isto ficaria melhor se a pedra fosse coberta com musgo."

Como vocês podem notar, foi exatamente este tipo de cuidado que o aquarista teve, ele cobriu as rochas com uma espécie de musgo (Vesicularia sp.).

Sobre o cuidado com a disposição dos elementos fica evidente o domínio das disposições das pedras, ele pode ou não ter perdido muito tempo escolhendo quais e onde qual pedra ficaria, mas o cuidado foi primoroso.

Além de ter respeitado a risca as regras de triangulação, até onde fui capaz de perceber, ele criou um conjunto perfeito de triangulações envolvendo todas as pedras, repare que para cada triangulação ele usou todos os níveis diferentes e tamanhos de pedras diferentes, exatamente como o Iwagumi (técnica japonesa de disposição de pedras) recomenda. 

Vejam os níveis:


Aqui as triangulações estão destacadas:

 

 

Sobre o autor:
Autor: Alex Ribeiro