Não podemos duvidar: os troncos são elementos que proporcionam grande beleza e rusticidade aos aquários bem montados e ambientados. Estamos falando dos troncos verdadeiros, de árvores que morreram e permaneceram submersas, não os troncos artificiais, de plástico, argila e outros materiais fabricados pelo homem. Troncos em um aquário plantadoSeria muito fácil aconselhar o amigo iniciante que deseja um belo tronco em seu tanque a comprar um em uma loja. O problema é que são poucas as lojas que dispõem desses elementos ornamentais em boas condições, e a preços acessíveis. Muita gente, então, parte para procurar um tronco por conta própria, inclusive entrando em matas e florestas e conseguindo o pedaço de madeira mais acessível possível. A preferência do senso comum é obter galhos ou raízes secas, levá-los para casa e após alguns dias de “tratamento”, colocar logo no aquário. Quando começam os problemas, o aquarista desavisado vai procurar ajuda, sem saber muito o que fazer. É um grande equívoco colocar troncos achados em matas direto no aquário, sem o devido tratamento: esses objetos podem criar mofo e fungo, bem como estragar a água, alterando sua cor e mesmo apodrecendo, desequilibrando o sistema. Não basta ferver, colocar em solução salina, nem deixar alguns dias dentro d´água, quando o tronco ás vezes nem afunda. Não é esse o tratamento apropriado para essas madeiras encontradas nas matas. Já vi quem colocasse troncos de goiabeira ou mangueira que cortou no quintal para fazer troncos de aquário, algo totalmente desaconselhado (mesmo que a madeira tenha sido cortada há um ano, ainda estará “verde” para ser introduzida no aquário). Pior é trazer madeira degradada, cheia de cogumelos, para “tratar” em poucos dias, e achar que está pronta para figurar em aquários.

Os conselhos que posso deixar aqui sobre troncos para aquário são básicos, mas úteis:

a) De preferência, utilize troncos que já estejam há tempo dentro d´água. Os melhores troncos são provenientes de rios, açudes, mangues, estuários de rios, ou mesmo de mar, caso possível. Estes já estarão “quase prontos”. Conheci uma loja em que os troncos à venda eram coletados de mangues, e ficavam dentro de uma caixa d´água de amianto imersos em água bem salgada, para desinfetar e evitar larvas de mosquito. Nesse tanque, a aguá era da cor de chá mate, bem escura, pela quantidade de troncos que havia.


b) Observe se a madeira está com mau cheiro. Se estiver, descarte o material, pois está ainda em processo de degradação. Se ainda houver casca, retire-a do tronco. Não pode haver nada fofo ou gosmento, no tronco. É sinal que não presta. Se o tronco estiver frágil ou se desmanchando, a madeira encharcou, e também não servirá. O bom tronco é pesado, sólido. É famoso o tronco da Aroeira, planta própria do semi-árido, encontrada em açudes e barragens em terras que foram alagadas, principalmente no Nordeste do Brasil. Mas nosso país tem muitas plantas que foram submersas, cujos troncos são utilizáveis em aquários, como o Sabiá, Anjico, Pau-ferro, Videira, Castanheira, Ubaia, e muitas outras.

c) A melhor cor para madeira de troncos é o preto escuro, ou marrom escuro (escurecido pelo tempo que ficou submerso na água). Mas sua cor também depende do tipo de madeira.

d) Qual a melhor parte do tronco? Se a árvore submersa for de pequeno porte (ou médio), a melhor parte para ser levada é aquela entre o início das raízes e a base do tronco (com pelo menos 30 a 40 cm de altura, e de 10 a 20 cm de diâmetro, dependendo da dimensão do aquário). Caso não seja possível, escolha um galho mais grosso. Tenha o bom senso de observar se a madeira é bem velha, e escolha um belo pedaço, por exemplo, retorcido, ou uma bela raiz. Fica muito bonito.

Tronco com fungose) Encontrado este tronco, envelhecido dentro d´água, falta fazer o tratamento. Ferver e colocá-lo em água de sal por uns meses são ações aconselháveis, para evitar alguma contaminação, ou introdução de micro organismos no aquário, bem como promover eliminação de fungos e algas indesejáveis.

f) Um tronco envelhecido logo cria lodo sobre ele, uma cobertura verde e curta, em sua parte superior (a que pega luz), tornando o ambiente do aquário muito bonito e selvagem. Já vi quem mantivesse aquelas algas filamentosas mais compridas sobre um grande tronco, bem no meio do aquário de 500L, com plantas em volta...era um espetáculo, o Lábeo Bicolor alimentando-se no tronco, enquanto Tetras do Congo, Cascudos, Neons e Mato-Grossos rodeavam toda a estrutura.

g) Dificilmente um tronco será uma presença “inerte” no aquário, pois é normal que libere substâncias que deixam a água cor de chá, bem fraco. São as chamadas substâncias húmicas, que servem para nutrir inclusive as plantas do aquário. O pH tenderá a ficar ácido, mas depende da quantidade de material orgânico presente no aquário. Os peixes amazônicos são adequados para essa água (neóns, tetras, discos, bandeiras, etc). Com os anos, essa coloração tende a diminuir, e o pH equilibra, mesmo para perto de 7.0 ou pouco menos.

h)Troncos também são locais para abrigar plantas, como musgo de java. O efeito é espetacular.

i) Peixes de fundo ou noturnos adoram buscar abrigo sob troncos. É o exemplo de coridoras, cascudos, bótias e dojôs. Os camarões também procuram troncos para se esconder.

j) Não que seja impossível o aquarista "preparar" um tronco partindo do zero, ou seja, a partir de uma madeira morta que estava em local seco. Mas dá tanto trabalho e exigirá tanta paciência que só um aquarista obstinado levará até o fim. Quem quiser, é só deixar a madeira dentro da água por um bom tempo, depois, tratar com cloro (uma colher por litro, no recipiente em que o tronco estiver submerso), dia sim, três não, mas sem esquecer dos problemas que isso gera. É preciso fazer trocas, colocar em água salgada, para não apodrecer, não permitir larvas de mosquito da dengue, etc.), bem como dar umas boas fervuras na peça. Ainda assim, esse tronco "novo" poderá colorir a água do aquário mais do que deveria, e o perigo que vir a desenvolver fungo também não estará totalmente afastado. O segredo dos troncos de aquário é seu tempo dentro da água.

l) Qualquer aquário pode ter um tronco? Sim, pode, mas é preciso observar que o tamanho da peça deve ser compatível com a litragem do tanque. O tronco não deve ocupar mais de 15-20% aproximadamente, do volume interior, embora haja quem coloque muitos troncos, raízes e até folhas em seu aquário por causa da fauna que escolheu, e pela água que precisa, um pouco escurecida. Bom senso ajuda muito nessas horas. Se, com tudo isso, a qualidade da água para tais espécies for mantida, tudo bem.


Continuo aconselhando, caso possível, que o tronco seja comprado em lojas confiáveis, já tratado, para quem não possa procurar um tronco na natureza. Apenas lembro que os "troncos de aquário" são mais do que pedaços de madeira qualquer dentro da água. Por isso, cuidado com eles.

Sobre o autor:
Katsuzo Koike
Autor: Katsuzo Koike
Katsuzo Koike, aquarista e laguista incurável, é natural de Recife-PE e professor com doutorado em História. Filho do piscicultor japonês Johei Koike, ex-professor da Universidade Rural de Pernambuco, seu gosto pelo aquarismo começou na década de 70 por influência de seu pai, que durante a sua infância, sempre o levava ao Centro de Piscicultura da UFRPE para acompanhar a criação de diversas espécies de peixes, tendo crescido sempre próximo à esse meio. Prioriza sempre a qualidade de vida dos seres em relação à beleza e ao paisagismo do aquário.