Aquário de Jumbos de 2200 litros de Renato MoteraniUm aquário de pescador, essa é a primeira coisa que me vem à mente quando olho para esse aquário, e você? Não, não estou dizendo que esse é um aquário de mentiroso, nem que os peixes são de mentira, afinal, quando se diz que uma história é "história de pescador", é porque ela não é verdadeira. Porém, olhando as espécies que mais chamam a atenção nesse aquário, é inevitável pensar que é o aquário dos sonhos de qualquer pescador! Esse é o Aquário do Mês de Novembro de 2014 do AqOL, um tanque de 2200 litros com diversos Tucunarés, Aruanãs, Traíras entre outras espécies bastante comuns e desejadas por pescadores, mantidos pelo aquarista Renato Moterani. 

Um aquário com esse volume de água realmente é um senhor aquário, porém é preciso levar em conta as espécies que ele abriga, muitas delas podem atingir facilmente meio metro de comprimento e na maiorias das vezes são mantidas irresponsavelmente em aquários de 200 ou 300 litros, com a desculpa que vão crescer de acordo com o tamanho do aquário.

Aquário de Jumbos de 2200 litros de Renato Moterani

Esse é um dos maiores erros do aquarismo, o peixe realmente não chegará ao tamanho máximo da espécie em um aquário com dimensões inadequadas, porém vai atingir um tamanho bem acima do que o máximo indicado para o aquário e o confinamento em um espaço reduzido pode gerar problemas de estrutura do peixe, estresse, comportamentos auto-destrutivos etc. Há relatos de casos onde Aruanãs mantidos em espaços inadequados, mordem a própria nadadeira caudal.

Observando o aquário, fica claro que Renato é adepto da prática da "lotação", algo muito comum entre jumbistas (aquaristas que mantém aquários de peixes grandes ou jumbos), porém há algo interessante que não é comum nesse tipo de prática, o aquário possui ornamentos, troncos que formam tocas, delimitam terrítórios, mais uma peculiaridade desse aquário. Independente da lotação ser uma prática correta ou não (esse assunto sempre gera longas discussões), é inegável que o aspecto geral dos peixes é muito bom.

Esse aquário levou quase cinco meses para ser montado e entre os problemas podemos citar situações comuns em aquários com grandes volumes e que não são construídos em larga em escala como é o caso de aquários de 100 ou 200 litros. A filtragem mecânica foi um exemplo, o aquarista revelou que levou algum tempo até realizar as adaptações necessárias no projeto inicial, para que ela desse conta dessa turminha.

Não precisa nem dizer que um aquário desses só pode ser fruto de um sonho e essa informação é confirmada por Renato ao dizer que planejou sua montagem por anos, até finalmente tirar o projeto do papel e torná-lo uma realidade.

 

 

Dimensões: 250 x 110 x 80 cm
Volume bruto: 2200 litros
Tempo de funcionamento: 18 meses.
Filtragem: Sistema dry-wet com sump de 550 litros, aproximadamente 130 litros de mídia, 3 litros de Seachem Purigen e 2 litros de carvão ativado (trocado mensalmente).
Iluminação: 6 x 23W fluorecentes compactas e fita de super led azul com 5 metros (dividida em duas fitas de 2,5m).
Substrato: Areia.
pH: 6,7
GH: ?
KH: ?
NH3/NH4: 0,25
NO2: 0,25
NO3: ?
PO4: ?
Temperatura média: 29C
Alimentação: Diária com ração e com carnes variadas seis vezes por semana (filé de peixes, sardinha, merluza, espada, tilápia, manjuba, camarão, filé de frango e coração de boi)
Fertilização: Não há.
Fauna: Osteoglossum bicirrhosum, Lepisosteus oculatus, Boulengerella maculata, Myleus ssp., Hydrolycus armatus, Salminus maxillosus, Hoplias curupira, Hoplias malabaricus, Chitala ornata, Osphronemus laticlavius, Datnioides microleps, Cichla piquiti, Cichla kelberi, Cichla pinima, Cichla temensis, Cichla monoculus, Cichla sp., Crenicichla sp. "Red", Crenicichla sp. "Cobra", Crenicichla cincta, Crenicichla johana, Crenicichla sp. "banana", Crenicichla reticulata, Crenicichla sp. "Xingu", Crenicichla stocki, Hypselecara coryphaenoides, Heros severum, Heros sp., Caquetaia spectabilis, Uaru amphiacanthoides, Paratilapia poleni, Acaronia nassa, Astronutus ocelatus, Polypterus endlicheri, Polypterus lapradei, Calophysus macropterus, Sorubim lima, Megalodoras uranoscopus, Platydoras dorsatus, Acanthodoras cataphractus, Trachelyopterus galeatus, Trachycorystes trachycorystes, Batrochoglanis sp., Pimelodus sp., Hoplosternum littorale, Pseudacanthicus sp. "L024", Pseudacanthicus sp. "L025", Pseudacanthicus sp. "L097", Pseudacanthicus sp. "L273", Pseudorinelepis sp. "L095", Pterygoplichthys gibbiceps, Pterygoplichthys pardalis, Acanthicus adonis, Potamotrygon leopoldi, Potamotrygon motoro, Potamotrygon sp. "Mantilla", Potamotrygon sp. "Castexi", Potamptrygon orbignyi, Potamotrygon henlei, Potamotrygon ocellata.
Flora:
Informações adicionais: Troca parcial semanal de 20% da água.
 
Sobre o autor:
Marne Campos
Autor: Marne Campos
Marne Campos, natural de Campinas-SP, é aquarista desde 1990 quando, aos 7 anos de idade, ganhou o seu primeiro aquário e se apaixonou completamente pelo aquarismo. Bacharel em Análise de Sistemas pela PUC-CAMPINAS e técnico em Eletro-Eletrônica pela UNICAMP, criou o projeto Aquarismo Online em 1999, além outras iniciativas ligadas ao aquarismo que vieram logo em seguida, entre elas a idealização do CBAP (Concurso Brasileiro de Aquapaisagismo) onde ocupou o cargo máximo por 12 anos. Dedica-se à aquários plantados desde 1998, tendo como principal área de interesse atualmente, a manutenção de ambientes aquáticos por longos períodos.