Comunitário de 172 litros de Marcos KimSe essa matéria fosse escrita há 15 anos, diria que é mais um aquário comunitário com várias espécies misturadas entre outras coisas que pouco chamariam a atenção do leitor, porém ao escrever hoje, eu digo que esse é um Aquário Comunitário (com iniciais maiúsculas), um tipo de montagem cada vez menos explorada por aquaristas mais experientes, ficando restrita a quem está começando no hobby, mas que quando bem elaborada, pode representar um aquário de grande destaque. O aquário de  172 litros de Marcos Kim representa muito bem esse tipo de montagem, reunindo espécies totalmente diferentes mas que podem ser mantidas juntas se observadas suas necessidades e encontrados pontos de intersecção entre eles. Estamos falando do aquário do Mês de Setembro/2014 do AqOL!

Esse belo aquário nasceu com a idéia de ser um aquário sem plantas, pelo menos não em seu cenário principal, já que elas estariam presentes em um filtro de plantas que seria construído por Marcos. Como nem tudo acontece como o planejado, os planos mudaram, o filtro nunca saiu e as plantas passaram a fazer parte do aquário.

Comunitário de 172 litros de Marcos Kim

Ao olhar a população do aquário logo pensamos que ela não é compatível, porém isso não seria uma verdade absoluta. Realmente, Kinguios e Acarás Bandeira não habitam águas comuns, porém são espécies com uma ampla tolerância de parâmetros, é possível sim mantê-los juntos. Claro que isso gera uma dificuldade maior para o aquarista, porém nada que uma atenção especial ao comportamento das espécies juntas não minimize os impactos.

Além de uma fauna bastante peculiar, esse aquário possui outra característica que hoje é bastante rara de ser encontrada, ele utiliza um FBF (filtro biológico de fundo) e como se não bastasse,  o sistema ainda possui fluxo reverso, ou seja, ao contrário do que é comumente usado.

Sem dúvida o FBF, não é um modelo de filtragem adequado para aquários com plantas naturais, apesar de ser um excelente sistema de filtragem biológica, porém o problema dele não é diretamente para as plantas, mas para o substrato, que em um plantado precisaria ter uma camada fértil e o fluxo de água gerado pelo FBF através do substrato, fatalmente liberaria esses nutrientes na coluna d'água favorecendo o aparecimento de algas. No caso do Marcos, ele plantou as plantas que dependem de substrato fértil, em pequenos vasos e resolveu essa questão.

Conversando com o aquarista ou acompanhando o tópico criado por ele no Fórum AqOL para descrever o aquário, percebe-se que ele está bastante satisfeito com a sua criação que, além de estar muito atraente visualmente, foi uma homenagem ao seu sogro, o sr. Ura, falecido um pouco antes do início da montagem. Para quem não sabe (eu não fazia ideia) "ura" em japonês, significa "ao contrário", princípio do sistema de filtragem biológica escolhido por Marcos.

Dimensões: 120 x 36 x 40cm
Volume bruto: 172 litros
Tempo de funcionamento: 1 mês.
Filtragem: Atman 3336 ligado ao FBF reverso e JBL e901.
Iluminação: 4 x 36W PL 6500K.
Substrato: Areia fina e branca
pH: 7,2
GH: ?
KH: ?
NH3/NH4: ?
NO2: ?
NO3: ?
PO4: ?
Temperatura média: 24C
Alimentação: Tropical Flocos, Sera Grãos, Nutricon Pet, Alcon Tubifex F.D., Tetra Bloodworms e Enquitréias.
Fertilização: Não há.
Fauna: Carassius auratus, Pterophyllum scalare, Tanichthys albonubes e Gyrinocheilus aymonieri "Gold".
Flora: Anubias lanceolata e Echinodorus amazonensis.
Informações adicionais:
 
Sobre o autor:
Marne Campos
Autor: Marne Campos
Marne Campos, natural de Campinas-SP, é aquarista desde 1990 quando, aos 7 anos de idade, ganhou o seu primeiro aquário e se apaixonou completamente pelo aquarismo. Bacharel em Análise de Sistemas pela PUC-CAMPINAS e técnico em Eletro-Eletrônica pela UNICAMP, criou o projeto Aquarismo Online em 1999, além outras iniciativas ligadas ao aquarismo que vieram logo em seguida, entre elas a idealização do CBAP (Concurso Brasileiro de Aquapaisagismo) onde ocupou o cargo máximo por 12 anos. Dedica-se à aquários plantados desde 1998, tendo como principal área de interesse atualmente, a manutenção de ambientes aquáticos por longos períodos.