Nano-Plantado de 59 litros de Thiago Daniel Eloi da HoraChegamos ao final de mais um ano no AqOL e, ao contrário dos anos anteriores, os Plantados (incluindo os nanos) não foram a maioria nessa seção em 2014. Tivemos uma enorme variedade de tipos de montagens na seção Aquário do Mês do AqOL durante o ano, entre eles Marinhos, Jumbos, Comunitários e até Ripários, o que é muito legal pois mostra a diversidade de aquaristas que temos em nossa Comunidade. Para fechar o ano, escolhi um Plantado, na verdade um nano, mas que de pequeno não tem nada, muito pelo contrário. Esse aquário foi um verdadeiro gigante pois garantiu um troféu do CBAP para o nordeste brasileiro, algo que não acontecia desde 2009! Estou falando do Nano-Plantado de 59 litros de Thiago Daniel Eloi da Hora, o Aquário do Mês de Dezembro de 2014 do AqOL!

Esse aquário foi iniciado à partir do método DSM (Dry Start Method) ou MIS (Método de Início Seco), nele o aquário é montado sem água, e as plantas são mantidas assim até que uma boa parcela do leiaute pretendido seja alcançada. Apesar do nome "seco", é muito importante manter a alta umidade do local, lembrando que são plantas hidrófilas, que se não passam a maior parte do ano submersas na natureza, passam em local com alta umidade, normalmente solos encharcados. Essa alta umidade normalmente é conseguida com uma tampa de vidro ou então com filme de pvc, sempre borrifando as plantas com água sem cloro, é claro.

Alpes BávarosThiago revelou que não teve grandes problemas no início, justamente pelo MIS, mas foi só encher o aquário de água que as algas apareceram, mais precisamente cianofíceas. Se repararmos bem na flora escolhida, veremos que não temos muitas plantas de estaca ou grandes devoradoras de nutrientes e combater as algas em aquários com essa restrição pode ser um pouco mais complicado. Por sorte, as algas foram controladas à tempo de Thiago submeter seu aquário para o CBAP e marcar seu nome na história do aquapaisagismo brasileiro.

Outra curiosidade foi a inspiração do aquapaisagista. Para quem não acompanha essa vertente do aquarismo nos últimos anos, vou explicar rapidamente... Uma área de grande desenvolvimento do aquapaisagismo é o landscape, ou a tentativa de se reproduzir paisagens terrestres dentro do aquário. Deixando de lado gostos pessoais, essa é uma técnica que impressiona quem observa o trabalho pronto, principalmente se o aquapaisagista tem talento. No caso, Thiago procurou retratar os Alpes Bávaros, e o resultado ficou muito bom, como podemos observar na foto à direita.

 

Dimensões: 60 x 35 x 28cm.
Volume bruto: 59 litros
Tempo de funcionamento: 3 meses.
Filtragem: Eheim Classic 150.
Iluminação: 6 x 24W T5 JBL (3 Natur, 2 Color e 1 Solar).
Substrato: Mbreda Amazônia Extra fino.
pH: 6,8
GH: 3
KH: 3
NH3/NH4: ?
NO2: ?
NO3: ?
PO4: ?
Temperatura média: 26C
Alimentação: Tetra Min Tropical Flakes.
Fertilização adicional: Mbreda NPK e Ferro (método Estimative Index).
Injeção de CO2: 2 bolhas/seg.
Fauna: Poecilia reticulata.
Flora: Limnophila sp. "Vietnam", Eleocharis vivipara "Mini", Hydrocotyle tripartita, Eleocharis sp. "Japan", Hemianthus calitrichoides "Cuba", Sacramento Moss (?), Nambei Moss (?), Taxiphyllum sp. "Flame Moss", Musgo "Lagoa Encatada" (?), Glossostigma elatinoides, Fissidens fontanus e Riccardia sp..
Informações adicionais: Troca parcial da água semanalmente e fertilização líquida.
 
Sobre o autor:
Marne Campos
Autor: Marne Campos
Marne Campos, natural de Campinas-SP, é aquarista desde 1990 quando, aos 7 anos de idade, ganhou o seu primeiro aquário e se apaixonou completamente pelo aquarismo. Bacharel em Análise de Sistemas pela PUC-CAMPINAS e técnico em Eletro-Eletrônica pela UNICAMP, criou o projeto Aquarismo Online em 1999, além outras iniciativas ligadas ao aquarismo que vieram logo em seguida, entre elas a idealização do CBAP (Concurso Brasileiro de Aquapaisagismo) onde ocupou o cargo máximo por 12 anos. Dedica-se à aquários plantados desde 1998, tendo como principal área de interesse atualmente, a manutenção de ambientes aquáticos por longos períodos.